A estatística de jogo é utilizada mundialmente e existem critérios que definem previamente cada um desses indicadores para garantir a objetividade das observações e da quantificação. Esses mesmos critérios são utilizados em torneios internacionais (Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais) como também em torneio nacionais e regionais (exemplo: Liga Nacional e Campeonato Paulista) tanto para o masculino, quanto para o feminino.

    Técnicos de basquetebol reconhecem que um jogador não pode ser avaliado simplesmente em função do número de pontos que ele faz. Os aspectos que demonstram a habilidade de um jogador vão muito além da sua pontuação, e nada mais eficiente do que as informações estatísticas para dar um melhor panorama da atuação do jogador. Ela é capaz de mostrar o volume de jogo do jogador, em função do volume de sua equipe, mostra o aproveitamento dos arremessos, a sua eficácia nos rebotes, enfim, enquadra o jogador em contexto maior.

    A análise quantitativa do jogo de basquetebol é um processo fundamental na explicação de fatores que influenciam no êxito esportivo. A avaliação do desempenho através dos indicadores de jogo, constitui um método válido, fidedigno e objetivo, tanto do ponto de vista do jogador, quanto da própria equipe (Sampaio, 1998).

    Os indicadores de jogo são um conjunto referencial das principais ações técnico-táticas do jogo. Podem ser representados pelas situações ou ocorrências possíveis de serem observadas e quantificadas em situação de jogo. Por exemplo: um arremesso certo, uma bola recuperada, uma falta, entre outras.

    Normalmente, os indicadores observados e analisados em um jogo são: tempo de jogo, quantidade de arremessos tentados (3 pts, 2 pts e lances-livres), quantidade de arremessos convertidos (3 pts, 2 pts e lances-livres), rebotes de defesa e de ataque, assistências, bloqueios de arremessos (tocos), bolas recuperadas, bolas perdidas e faltas.

    A análise conjunta dos indicadores de jogo é responsável por fornecer subsídios importantes aos técnicos e atletas para que possam estabelecer estratégias adequadas de treinamento e também para os jogos, objetivando a melhora do desempenho individual e coletivo.

    Pode-se também considerar a importância da estatística de jogo para os meio de informação que divulgam os resultados e os utilizam para embasar as análises e comentários técnicos e táticos do jogo.

Se você trabalha (ou quer trabalhar) com BASQUETE, vou te apresentar uma boa opção para não ficar sem atividade.

O trabalho com crianças ou adolescentes pode ser bem desgastante e se você lida com atividades esportivas na escola e quer ideias de atividades deste esporte, não pode deixar de conhecer o TOP 100 BASQUETE ESCOLAR! Clique aqui e saiba mais!


Você não pode perder:

Entre nos grupos de WHATSAPP
Entre no grupo do Telegram
Treinamento Funcional 200 Exercícios - Aprenda Montar Seu Treino
Atividades de Educação Física Escolar
Curso Hidroginástica 3.0