Andar de patins garante saúde e preparação física








Para muitos, andar de patins pode ser apenas um hobby, uma maneira de fugir do estresse do dia a dia, ou até mesmo um brinquedo de criança, mas o professor de Educação Física, Edson Hernandes dos Reis, garante que praticar a modalidade trabalha quatro músculos da coxa, a região abdominal e também ajuda no equilíbrio. Segundo Reis, o resultado físico é muito rápido, comparado com outros esportes. "É uma atividade que chegou e as pessoas têm gostado. O resultado vem muito rápido. Mas é importante você fazer uma verificação para ver se não tem nenhuma restrição médica", orientou.

Apesar de o patins ter virado moda na década de 90, em Cascavel, no oeste do Paraná, a modalidade tornou-se comum e tem ganhado cada vez mais espaço. No Lago Municipal da cidade, por exemplo, o esporte tomou conta das pistas.

Cinthya Mattos começou a usar patins há dois semanas (Foto: Cassiane Seghatti/G1)

Ainda sem muito equilíbrio, a funcionária pública, Cintya Mattos, começou a patinar há duas semanas. Segundo ela, a vontade de deslizar sob oito rodinhas vem desde criança, mas nunca teve coragem de experimentar. Agora, com 31 anos, diz que não quer parar. "Eu não gosto de ir para a academia. Então, eu precisava de alguma coisa que me motivasse. Como eu tinha sintonia [com o patins], deu certo. Cada dia quero patinar mais, aquela vontade que antes eu não tinha com outros esportes", disse.

Apesar de fazer pouco tempo que começou a andar de patins, Cintya garante que a prática está fazendo muito bem à saúde dela. "Eu estou me sentindo muito melhor do que antes. Questão de ânimo, de bem estar", pontuou. Ela ainda contou que não conseguia dar sequência em outras atividades, e como quer emagrecer e melhorar a qualidade de vida, acredita que com a nova modalidade de esporte vai alcançar os objetivos.

Para a design de moda Dayane Aguiar, de 26 anos, que patina desde a infância, o esporte para ela é um hobby. "Eu sempre gostei, sempre achei interessante. É um exercício que você faz e não é chato. Você se exercita, mas se diverte ao mesmo tempo", contou. Ela comenta que tinha dificuldade em acompanhar o esposo enquanto ele corria, mas, agora, com o patins, consegue andar ao lado dele.

A patinadora Vanessa Nóbrega pratica desde os 6 anos de idade e aos 15 já participava de concursos na cidade de Rio de Janeiro. Quando chegou a Cascavel percebeu que as pessoas não tinham o costume de andar de patins. "Eu vinha no lago e as pessoas me olhavam estranho. Foi, então, que uma amiga me viu andando e me pediu para eu ensiná-la".  Há cerca de um ano, Vanessa ensina a dar os primeiros passos com o patins.

Nóbrega afirma que bastam apenas quatro semanas para uma pessoa aprender a se equilibrar e fazer os movimentos básicos da patinação. Ela também garante que é possível aprender com qualquer idade. "As mulheres se sentem lindas, poderosas em cima de um patins", assegurou.

Para começar a patinar, Nóbrega orienta as pessoas a usarem todos os equipamentos de segurança e a fazer escolha certa do patins.

E não são só as mulheres que estão aderindo a esse novo esporte. Relembrando os tempos de infância, Rafael Bruno Kuyindki, de 22 anos, voltou a praticar após 12 anos. "Eu era 100% sedentário e o patins foi a maneira que eu encontrei para praticar um esporte", garantiu. Segundo ele, como sempre andou de patins quando era criança, foi mais fácil de se equilibrar novamente. "Foi questão de um mês. Foi até criar aquela segurança, mas é como andar de bicicleta. A gente nunca esquece. Cada vez que eu coloco o patins no pé é como se eu estivesse voando", complementou.



COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: