Bicicleta Ergométrica x Corrida: uma hora de "sprint" em bicicleta vale por 7h de corrida







Uma hora de "sprint" em bicicleta ergométrica vale por sete horas de corrida

Vinte minutos do exercício, três vezes por semana, é eficaz para reduzir gordura visceral e aumentar massa muscular de homens

 
tamanho da letra
A-
A+

Uma hora de sprint em bicicleta ergométrica por semana pode auxiliar na redução da gordura visceral de homens de forma equivalente a sete horas de corrida. É o que aponta estudo realizado por pesquisadores da University of New South Wales, na Austrália,

De acordo com a equipe, 20 minutos de "sprints" em uma bicicleta ergométrica, três vezes por semana, é o necessário para entrar em forma. "'Sprints' são uma forma muito eficiente de exercício", diz o líder da pesquisa Steve Boutcher. O programa de sprint, LifeSprints, reduz a gordura visceral com sete vezes menos tempo tem maior impacto positivo sobre a saúde cardiovascular e metabólica.

Homens que participaram da pesquisa perderam dois quilos de gordura corporal, 17% de gordura visceral e ganharam 1,2 Kg de massa muscular nas pernas e tronco após 12 semanas de programa de "sprint" na bicicleta. "Outros estudos utilizando exercícios aeróbicos, como corrida contínua, descobriram que a quantidade de exercício necessária para produzir uma redução semelhante na gordura visceral foi de cerca de sete horas por semana durante 14 semanas", observa Boutcher.

A equipe de pesquisadores já havia estudado o impacto do programa de "sprint" para mulheres, que também mostrou uma significativa perda de gordura corporal causada por 20 minutos de exercícios na bicicleta ergométrica, três vezes por semana.

O programa LifeSprints também foi eficaz para aumentar a massa muscular. "Participação em exercícios aeróbicos regulares normalmente resulta em ganho de pouca ou nenhuma massa muscular, enquanto que exercícios de resitência moderados durante meses podem aumentar a massa muscular. "A quantidade de exercícios LifeSprints necessários para aumentar a massa muscular, no entanto, parecem ser bem menores", conclui Boutcher


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: