Caminhada é um bom remédio para depressão, diz pesquisa








 Caminhadas também podem ser eficientes para o tratamento contra depressões leves Foto: Felipe Hanower

Caminhadas também podem ser eficientes para o tratamento contra depressões leves Felipe Hanower

RIO — Um simples passeio pode ser um eficiente tratamento para curar a depressão. A constatação é da Universidade de Stirling, da Escócia, e foi publicada na revista científica Mental Health and Physical Activity. Exercícios mais fortes já haviam demonstrado eficácia, mas é a primeira vez da comprovação que uma atividade moderada traz benefícios.

O estudo analisou dados de oito pesquisas realizada com 341 pacientes. Estimativas mostram que uma entre dez pessoas, em algum momento da vida, terão depressão. A condição exige, geralmente, tratamento com medicamentos, mas os exercícios são indicados em caso de sintomas leves.

Os autores dizem que a grande vantagem da caminhada é que ela pode ser praticada pelas pessoas sem implicar grandes custos, além de ser fácil de incorporar a rotina diária. Apesar da constatação, os pesquisadores alertam que serão necessárias mais estudos, como a duração necessária do exercício, a velocidade indicada e o local mais adequado.

Outras universidades já realizaram estudos sobre o tema. A ONG de saúde mental Mind afirma que só o fato de passar algum tempo ao ar livre ajuda depressivos.

— Para obter o máximo de satisfação é preciso encontrar exercícios que você goste de praticar. Experimente coisas diferentes, como a jardinagem, andar de bicicleta e até mesmo nadar na praia. Exercitar-se com os outros pode ser bom e ainda é uma oportunidade de fortalecer as relações sociais com amigos e familiares — diz o chefe executivo da Mind, Paul Farmer, à BBC.



COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: