Exercício melhora condição física e memória de idosos

Muita gente corre a vida inteira e pensa que, quando a velhice chegar, será o momento de ficar sentado no sofá. Mas estudos indicam um outro caminho a seguir. O exercício físico para pessoas com mais de 60 anos, além de fazer bem para o corpo, ajuda a mente, melhorando a memória e o raciocínio.

Pacientes com mal de Alzheimer e Parkinson podem retardar o avanço da doença. Estudo realizado na Unifesp com 65 idosos - submetidos durante seis meses a um programa de musculação - apontou melhora sensível nas funções cognitivas, como memória, raciocínio, percepção e coordenação motora. "Alguns iam com lista ao supermercado e dispensaram o papel. Tamanha confiança de que iam lembrar", conta Ricardo Cassilhas, profissional de educação física que comandou a pesquisa. O humor dos voluntários também melhorou.

Só por sair de casa e conhecer pessoas, houve diminuição da depressão e ansiedade. Com o fim do estudo, a maioria tem intenção de continuar se exercitando. "Eles não queriam perder o que tinham ganhado." Antes de começar uma atividade física, muitas pessoas ficam reticentes. "Uns acham que não fizeram nada a vida toda e não vão começar depois de velhos. Outros se sentem excluídos de ambientes como academias", afirma Cassilhas. Não há restrição ao fato de ter sido sedentário, desde que tenha acompanhamento médico. "É animador. Se a gente conseguir modificar determinados hábitos, diminui o risco de doenças e melhora a qualidade de vida do idoso e da família", afirma Cássio Bottino, coordenador do Projeto Terceira Idade do Instituto de Psiquiatria do HC. Às vezes, os parentes acreditam que mantê-lo dentro de casa é o melhor. "Superproteção é algo que a gente combate. O familiar não deve fazer nada que o paciente é capaz." Pesquisas comprovam que a atividade física também é recomendada para quem tem Alzheimer ou Parkinson. "Se é um momento em que a memória está começando a declinar e a gente pode usar alguma coisa que a faça melhorar ou estabilizar, é um ganho", diz Cybelle Maria Costa Diniz, geriatra e diretora científica da Abraz (Associação Brasileira de Alzheimer). "Para o paciente com doença de Parkinson, o primeiro tratamento, às vezes até antes do remédio, é exercício físico." A atividade física representa um novo mundo para o idoso, no qual ele não precisa estar só. "Trabalho com a afetividade. A gente tenta se tornar um amigo dessa pessoa, não só um terapeuta que vai lá realizar movimentos", diz o professor de educação física Carlos Eduardo de Carvalho Afonso.

Por: Constança Tatsch

0 comentários:

Atividade física para quem tem problema respiratório


Paulo Zogaib é fisiologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp):

Entre as doenças respiratórias mais comuns estão a asma alérgica, a bronquite crônica e o enfisema pulmonar. Em todas as situações, os exercícios que têm como objetivo melhorar a capacidade cardiorrespiratória (como caminhada, bicicleta, natação, etc.) são muito recomendados, pois o paciente fica mais resistente e as crises se tornam mais raras.

É interessante também que o aluno faça exercícios localizados, como aqueles que trabalham a parte superior do corpo, para fortalecer a musculatura respiratória. Vale frisar que as atividades devem ser realizadas com o acompanhamento de um profissional especializado, que orientará o praticante de acordo com seu condicionamento físico.

Para se ter uma ideia, o paciente com bronquite crônica tem uma limitação ventilatória decorrente de uma inflamação crônica dos brônquios. Por isso, é preciso respeitar os limites desse indivíduo ao prescrever uma atividade física.

Já aqueles que têm asma alérgica devem ficar atentos à presença de agentes como fungos, poeira, e umidade, pois eles podem dar início às crises – caracterizadas pelo fechamento dos brônquios e dificuldade de passagem do ar.

No caso de enfisema pulmonar, são os alvéolos pulmonares, e não os brônquios, que ficam comprometidos. Por isso, o paciente com a doença apresenta uma grande limitação ventilatória e, durante os exercícios, muitas vezes não consegue colocar o oxigênio no sangue com eficiência. É preciso, portanto, ficar muito atento a isso durante uma atividade, interrompendo-a caso o aluno precise melhorar a oxigenação.

Aliás, a recomendação geral para pessoas com problemas respiratórios é justamente parar imediatamente o exercício caso sinta falta de ar, tontura ou qualquer outro incômodo. Também é bom evitar treinos em ambientes com temperatura muito baixa e ar seco, pois essa situação pode irritar os brônquios, levando a uma crise.

Para quem se exercita ao ar livre, o ideal é optar por lugares e horários com menores taxas de poluição. Isso porque ela piora todos os quadros descritos acima.

0 comentários:

Descubra como evitar cãibras durante o exercício

caibra 300x338

A cãibra é uma dor causada por uma contração involuntária do músculo e está relacionada à diminuição do nível de alguns minerais, como potássio, magnésio ou sódio.

Exercícios exaustivos também podem produzi-la. O acúmulo de metabólitos ou substâncias que são liberadas durante o trabalho dos músculos como o ácido lático e a amônia também podem colaborar para o surgimento de cãibra.

A deficiência de minerais é provocada pela elevada eliminação de água por meio do suor que faz o corpo perder o cloreto e o sódio e também potássio.

A elevada perda hídrica e de sódio devido ao calor excessivo são os principais fatores que desencadeiam as cãibras.

Para evitá-las, recomenda-se:

- Fazer uma boa hidratação antes, durante e depois dos exercícios.

- Aumentar a ingestão de sódio e cloreto com o consumo de alimentos salgados

- Fazer durante os treinos uma alimentação rica em carboidratos, potássio e cálcio para não diminuir o rendimento e causar cãibras.

0 comentários:

Cuidados na hora de correr fazem bem à saúde e evitam problemas


A prática da corrida pelo menos quatro vezes por semana ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL), melhorar o colesterol bom (HDL), diminuir os níveis de glicose e da pressão arterial e melhorar o desempenho cardíaco.

O exercício regular faz o coração trabalhar melhor trazendo benefícios para a saúde. Mas se o esporte é praticado ao ar livre, é preciso tomar algumas precauções.

Para a corrida em dias ensolarados é fundamental o uso de óculos escuros. Além de proporcionarem maior conforto, protegem os olhos contra vento e poeira. É fundamental a escolha de um modelo resistente e leve, com boa fixação para evitar que eles escorreguem durante a atividade física.

É importante também o uso de filtro solar que deve ser aplicados 20 minutos antes da atividade. Os dermatologistas também recomendam o uso de boné ou viseira, para evitar a exposição direta do sol sobre a pele.

No caso de suor excessivo, o ideal é que o filtro solar seja reaplicado a cada duas horas.

Manter o corpo hidratado é outro detalhe importantíssimo, alertam os médicos. A desidratação pode provocar interrupção do treinamento por dores, câimbras, desmaios e em casos graves à hiponatremia (baixo nível de sódio no sangue).

O corpo precisa estar hidratado antes e durante a corrida

0 comentários:

Correr faz bem ao coração e melhora a pele


corrida musica 300x225Getty Images
Publicidade

Correr não traz apenas melhorias para a saúde do coração. A atividade também é excelente para estimular a produção de colágeno e, com ela, retardar o envelhecimento da pele.

Isso se dá porque a corrida ativa a circulação sanguínea, que aumenta a produção de colágeno.O envelhecimento é causado justamente pela diminuição dessa produção.

O colágeno é uma forma de proteína presente nos tecidos e no sistema esquelético. Ele é responsável pela elasticidade da pele, pelo tônus muscular, pela saúde das cartilagens e articulações e pela saúde dos cabelos.

A queda da produção de colágeno se dá a partir dos 25 anos. Aos 50, o organismo só produz 35% do colágeno que necessita.

As maiores fontes de colágeno na alimentação são as carnes vermelhas.

O colágeno é fundamental para evitar a osteoporose, a perda de massa óssea. Ele também reforça os tendões e ligamentos que unem os músculos aos ossos. Sem o colágeno, o tônus muscular sofre uma diminuição, atingindo não só a saúde dos ossos, mas também das unhas, pele e cabelos, tornando-os menos resistentes e com o crescimento comprometido.

0 comentários:

10 exercícios campeões para torrar calorias rumo a boa forma

Nos dias de calor, a ordem é torrar sem dó nem piedade toda a energia extra acumulada pelo organismo. E mais: fazer isso num piscar de olhos e, se possível, com muita diversão. Sim, a gente entendeu o pedido e, com uma mãozinha dos médicos Marcelo Ortiz e Carlos Polazzo, do Instituto BR Esportes, ele foi atendido.Numa tarefa suada, montamos um ranking com as dez atividades que mais queimam calorias. Para a ficha ficar completa, ainda investigamos os prós e os contras de cada exercício. Afinal, não adianta nada ficar com uma barriguinha linda se você for obrigada a ficar de molho em casa, com dores pelo corpo todo.

1. Corrida

Não tem jeito: o pódio ainda é dela. Com uma hora de corrida, você gasta terríveis 900 calorias. Isso equivale a uma lasanha, um copo médio de coca-cola, uma porção de carne de frango e um brigadeiro. Ufa!

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: cuidado com o impacto do joelho e na coluna ao correr. Escolha um tênis com bons amortecedores (acerte na escolha do tênis).


2. Andar de bicicleta

Sair pedalando pelas ruas é sinônimo de 840 calorias a menos no corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: Cuidado com o desgaste da coluna e com o joelho. Antes de começar a pedalar, não deixe de ajustar o banco de modo que você nunca estique completamente a perna.


3. Tênis

Trata-se de um esporte completo: você precisa de força para arremessar a bolinha e muito fôlego para percorrer a quadra. Mas tanto esforço é bem recompensado com a despedida de 800 calorias numa partida de uma hora.

A favor: melhora a coordenação motora, fortalece os músculos (principalmente dos braços) e aumenta a agilidade
Contra: lesões nos ombros e nos punhos, caso você se esforce demais. Se nunca praticou, procure um professor pelo menos no mês inicial.


4. Futebol

Temos um argumento imbatível para você topar bater uma bolinha, mesmo que tenha acabado de sair da manicure: uma hora de uma boa pelada consome 780 calorias!

A favor: fortalece as pernas e melhora o condicionamento
Contra: tome cuidado com os esbarrões e com as divididas, que podem exigir um pouco de força e jogo de cintura


5. Boxe

Coloque as luvas e vamos ao ringue. Treinando boxe, você queima até 660 calorias e ainda define os braços.

A favor: pique de campeã e músculos dos braços muito bem torneados.
Contra: exige bastante preparo. Quantos aos socos, eles são feitos em sacos


6. Musculação

Pode ser em casa, com pesinhos, ou na academia. Para cada hora de treino, você perder, em média, 720 calorias.

A favor: melhora a resistência articular e muscular, fortalece os ossos e ainda acelera a queima de calorias.
Contra: pode danificar músculos e tendões se não for feita com orientação adequada (saiba como evitar lesões).


7. Remar

Sim, pode parecer estranho e difícil remar em plena cidade grande, mas os médicos garantem a eficácia. Uma hora de braços para lá e para cá eliminam 600 calorias do corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco e muscular, define todo o peitoral e os braços rapidinho. É o segundo exercício mais completo que existe (depois da natação).
Contra: pode causar tendinite nos braços


8. Natação

Uma hora queima 540 calorias.

A favor: trabalha todos os músculos e melhora o condicionamento.
Contra: cuidado com os choques térmicos, caso treine numa piscina aquecida. Não se esqueça de alongar, evitando cãibras.


9. Basquete

Não precisa ser nenhum craque do NBA, mas dar uma corridinha para um e outro lado da quadra e tentar jogar a bola na cesta pode te fazer perder 480 calorias.

A favor: trabalha braços e pernas, praticamente na mesma proporção, além de desenvolver o condicionamento físico
Contra: cuidado com impactos bruscos no joelho e na coluna e com as trombadas na quadra.


10. Vôlei

Você sempre pensou: ah, aquele esporte em que a gente fica meio parado nem deve me ajudar a emagrecer... pois errou. Uma hora praticando vôlei elimina 420 calorias da sua barriga, da sua perna, do seu bumbum...

A favor: braços e abdômen definidos
Contra: cuidado com as lesões nos dedos das mãos. Elas costumam ser frequentes.



0 comentários:

Importância do dia de descanso na corrida

Fazer uma atividade física sete dias da semana, tipo corrida, pode ser estressante para o corpo. Pode ser não. É. E não vai ser um dia de descanso o fará menos condicionado(a).

Anos de pesquisas provam ser falsa a noção de que um dia sem treinar destrói o condicionamento — na verdade, acontece justamente o contrário. Um pouco de destreino (a perda de condicionamento e desempenho que acontece quando você para de treinar) só acontece depois de duas semanas parado. Entretanto, se o descanso acontece após as sessões pesadas de treino, ele permite que seu corpo se adapte ao esforço, fortalecendo-se. Um dia de folga a cada 14 dias repõe os estoques de glicogênio, constrói força e reduz a fadiga. E, considerando que a maioria das lesões é causada por excesso de treino, para não ser forçado a ficar de molho por três a quatro semanas (por causa de uma síndrome isquiotibial, por exemplo), aproveite para passar um dia descansando, fazendo cross training ou trotando por alguns quilômetros.

Eu me acabava de treinar por seis dias só para curtir um dia livre no sétimo. Era quando eu recuperava algumas horas de sono e cuidava dos músculos doloridos com massagens e alongamentos leves. Esse dia era tão decisivo para o meu programa de treinos quanto uma corrida longa: sabendo que o descanso era garantido, eu conseguia atravessar treinos difíceis. Além disso, começava a nova semana física e mentalmente restaurado, pronto para qualquer masoquismo que viesse pela frente.

Tendo dito isso, eu entendo como pode ser difícil para algumas pessoas deixar de lado os tênis de corrida. Em seu dia de descanso, o mexicano Germán Silva, vencedor da Maratona de Nova York em 1994 e 1995, corria 3 milhas (cerca de 5 km) em ritmo fácil, mantendo os batimentos cardíacos abaixo de 60% do máximo. Trotar assim pode até não impulsionar o VO2 max, mas relaxa os músculos para evitar a fadiga.

Então tudo bem se os simples mortais correrem um pouquinho nos dias de folga? Depende. Contanto que mantenham o volume e a intensidade bem leves, podem obter os benefícios da recuperação (o mesmo vale para o cross training num dia de descanso: não force).

Aquelas corridas leves de recuperação não devem ser confundidas com a quilometragem base que você intercala com os treinos difíceis. Ela é essencial para fortalecer os músculos, acumular resistência e queimar gordura. O segredo é manter um ritmo conservador: utilize a tabela abaixo para se orientar.

0 comentários:

Malhação para as gestantes: uma gravidez mais saudável


A prática de exercícios físicos durante a gravidez traz muitos benefícios para a futura mamãe e o bebê em desenvolvimento. Se a mulher já praticava alguma atividade antes de engravidar ótimo. Se a mulher era sedentária e quer mudar isso durante os noves meses, um pouco mais de cuidado deve ter ao começar as atividades.

"A prática de atividade física, aplicada de maneira saudável e com orientação adequada à necessidade individual, deveria ser um hábito pré e pós-parto", reitera Patrícia Castellar Pirozzi, diretora executiva da Triathon Academia.

A atividade física, desde que bem feita (não podemos nos esquecer disso!), funciona como aliado frente a inúmeros probleminhas corriqueiros na gravidez.

Com a realização de exercícios corretos, o corpo libera a endorfina, um hormônio que alivia os sintomas do estresse, equilibra o humor que sobe e desce com freqüência na gravidez e diminui significativamente as dores que, às vezes, a gestante sente.

As dores na coluna, musculares e articulares também são reclamações constantes das gestantes. Os exercícios físicos reduzem sensivelmente essas dores, já que promove uma força maior nos músculos, adequando a postura e diminuindo a tensão nas articulações.

A educadora física Luciana Correia de Carvalho destaca as principais atividades que fazem bem à saúde das futuras mamães: "A musculação, desde que a gestante já pratique antes da gravidez e volte a fazer moderadamente. A caminhada, hidroginástica e alongamento também trazem efeito altamente positivo".

Exercícios para reaver o peso de antes – A gravidez chega, e logicamente a mamãe ganha vários quilos extras. O erro é quando o peso extrapola o tolerado em uma gravidez.

Para mulheres que recorrem à atividade física por já terem ganhado peso demais durante a gestação, o recomendado é o trabalho em bicicleta ergométrica, exercícios localizados para correção postural e resistência muscular.

O primeiro passo da gestante que quer começar a cuidar da saúde com algum exercício físico é procurar o seu médico ginecologista para que este a avalie e confirme que não haverá problemas para a gestante e o bebê.

Outra aprovação necessária para começar os exercícios com tranqüilidade é a do cardiologista. Depois da liberação médica, o educador físico vai fazer uma avaliação complementar da gestante para que possa delinear um plano de exercícios específico para cada mulher.

Outro acompanhamento importante para as grávidas, principalmente para as que realizam atividade física, é o nutricional. O profissional de nutrição fará uma dieta alimentar balanceada para que a mamãe atleta faça seus exercícios sem que prejudique a sua saúde e o desenvolvimento do bebê.

0 comentários:

A ordem agora é PULAR!


Exercícios simples é o que buscamos para os exercitar. E quando fazíamos esses exercicios quando crianças e deixamos de fazer? Você saberia dizer a quantidade de vezes na sua infância que você, simplemente, pulou corda? Ou "elástico"? Ou pulou amarelinha? A receita é simples, mas dá resultado. Jump, step e corda são três exemplos de exercícios em que os saltos trazem muito resultado, porque trazem a melhora da capacidade cardiovascular e realizam um alto gasto calórico, além de serem muito divertidos. E se forem levados para a academia, com aulas de ritmos variados, aerofight, circuito também possuem essas características e podem ser encaradas como opção para aqueles dias em que bater uma vontade de fugir da esteira.

A seguir, você conhece um pouco mais de cada um dos exercícios e pode começar já a praticá-los, preparando-se para pular ainda mais (de felicidade, desta vez).

Jump e step
O gasto calórico dos exercícios está relacionado com a condição física inicial do praticante, seu estado de saúde, alimentação e horas de sono. Em uma aula de 30 a 45 minutos, há queima de 300 a 600 calorias.

Coordenação
Jump e step trabalham a coordenação motora. São aulas de fácil acesso para todas as pessoas, contando com músicas contagiantes e coreografias com diferentes graus de complexidade e intensidade.

Pernas e bumbum
Se você quer tonificar os músculos inferiores, não perca as aulas de jump e step. Panturrilhas, coxas e glúteos são trabalhados intensamente durante os movimentos realizados. O melhor disso? Você nem percebe que está numa malhação intensa.

Tome cuidado
Se você tem alguma lesão nos joelhos, precisa fortalecer os músculos e as articulações antes de entra no ritmo. O treino de musculação é essencial para isso e também não deixe de se alongar bem antes de começar a pular. Na dúvida, fale com o professor antes de encarar.

Efeito colateral
Que tal praticar um exercício que tem, como bônus, a tonificação do abdômen? Se você gostou da idéia, então aproveite as aulas de jump e de step. Os músculos do abdômen e os paravertebrais funcionam como estabilizadores na aula de jump, portanto o trabalho em isometria é bastante intenso. Não há um trabalho específico de abdome, mas a musculatura é solicitada , afirma a professora Milena Emídio.

Turma de amigos
Além de melhorar o condicionamento, as aulas de jump e step melhoram muito a sua auto-estima. Elas promovem uma socialização, as pessoas se divertem e podem aproveitar uma vida mais ativa e saudável , diz a professora da Triathon Academia

Dores após as aulas
Os músculos ficam doloridos em função de micro-lesões que ocorrem durante o exercício. Musculatura não adaptada para aquele tipo de treino, número alto de repetições e sobrecarga local são as principais causas. O problema some, em média, após três semanas de prática regular. O importante é não interromper as atividades.

Respiração
Na medida em que o tempo de aula e a intensidade dos exercícios vão aumentando, a respiração dos alunos torna-se mais intensa e mais rápida, o corpo exige maior captação de oxigênio. A respiração adequada durante uma aula de jump coordena a inspiração e a expiração de acordo com a velocidade, intensidade e tempo do exercício. Não há regras para respirar, cada um possui uma capacidade de captação e eliminação de gases. Como os músculos abdominais estarão tensos durante a execução do exercício, a respiração é mais torácica do que abdominal, segundo a professora.

Mudança de nível
O que muda nas aulas de step, de um nível mais básico para um mais avançado, é o grau de complexidade de coreografia: a combinação de movimentos de braços e pernas, giros e deslocamentos laterais. O tempo de aula também cresce, ultrapassando os 30 minutos.

Drenagem linfática
Pular na cama elástica das aulas de jump vale uma massagem, de acordo com a professora. Há benefícios para o tratamento de celulite e também diminuição do inchaço.os resultados surgem após o terceiro mês de aula.

Step, jump e musculação
Quem faz step em um dia pode fazer musculação no dia seguinte. As aulas oferecem melhora da capacidade cardiovascular e muita resistência de membros inferiores. Já a musculação é benéfica para fortalecer os grupos que serão bastante solicitados nas aulas

Corda

Queima de calorias
Pense nela como sua companheira para emagrecer. Uma média de 60 minutos de treinamento de corda chega a derreter 800 calorias. Os atletas de boxe pensam nela para o aquecimento, inclusive, por causa do aquecimento cardiovascular e muscular de todo o corpo que os pulos oferecem. O ideal é praticar de duas a três vezes por semana.

Benefícios
Há condicionamento cardiovascular, além de tonificação dos membros inferiores, (panturrilha, glúteo e pernas) e do abdômen.

Para ficar mais difícil
Se você for um atleta e usa a corda como um meio de melhorar sua resistência, é possível pegar mais pesado. Basta aumentar a velocidade de execução, o número de giros em menos tempo, pular mais e aumentar o tempo de treino. Mas é importante lembrar que o exercício tem impacto, exige condição física adequada, com bom preparo dos de membros inferiores.

Excesso de peso
Se você precisa emagrecer, é melhor evitar a corda. Isso porque o impacto dos pulos pode prejudicar joelhos, tornozelos e coluna. Depois de perder uns quilos, no entanto, lembre-se dela como opção para enxugar o que falta.

0 comentários: