Wellness








O conceito de "wellness" corresponde a uma preocupação do ser humano que, ao longo dos séculos, sempre foi demonstrando no respeito possível pelos valores predominantes de cada sociedade. Hoje, vemo-lo essencialmente ligado à manutenção e ao desenvolvimento da saúde e do bem-estar das populações, no momento histórico em que a actividade exigida ao ser humano na produção do trabalho e dos bens fundamentais é profundamente diferente do que foi no resto da sua passagem por este planeta.

Já nas sociedades antigas esta preocupação existia e foi efectivada, principalmente, pelos mais favorecidos, quer pela natureza do seu nascimento, quer pelos seus dotes de liderança e afirmação social. Ao longo da Antiguidade são mais do que conhecidos os cuidados com a saúde, a beleza e a qualidade de vida, através de actividades para e com o corpo, realizadas individualmente ou em grupo, mais conotados ou reprimidos com o espírito religioso predominante de cada época ou através de cultos claramente profanos. Da China à Índia, ao Egipto, à Grécia ou a Roma, em todas as sociedades desenvolvidas a procura dos melhores níveis de qualidade vida passaram sempre pelo bem-estar físico e mental.

A Idade Média foi por força do exacerbado pensamento religioso uma das etapas da História menos luxuriante neste aspecto. Mas, com a Revolução Industrial, com os novos processos de produção e com o estabelecimento de um clima político que levou ao capitalismo, inicia-se uma nova fase, em que os modelos da ginástica correctiva dos países do Norte da Europa começaram a encontrar excelentes condições para crescer em conjunto com a força do movimento associativo. Rapidamente se expandia a partir da Inglaterra, criando um novo espaço para a afirmação das actividades de carácter recreativo e profissional com base numa nova cultura do corpo e do jogo.

Em Portugal, este movimento foi integrado nas práticas sociais, a partir do século XIX, muito ligado com a revolução dos costumes higiénicos, que motivavam os principais difusores da prática desportiva e das ginásticas correctivas e preventivas. Estes propagandistas de uma nova forma de viver o corpo tentavam, através de um conjunto de novas práticas, abrir as portas para uma cultura de bem-estar físico e social. As primeiras práticas desportivas foram a caça, os desportos náuticos, as corridas pedestres, a natação e as actividades circenses. Só depois apareceram as actividades desportivas na forma que hoje as conhecemos.


Desporto para a saúde

Houve o tempo dos consultórios, das garagens, dos ginásios de vão de escada, dos hotéis, das primeiras academias, da proliferação dos health clubs... agora, chegou o momento das grande empresas, algumas já multinacionais, ligadas ao franchising dos produtos mais variados, do marketing a marcar o ritmo dos negócios e a vitória do merchandasing e do conceito de wellness.

Actualmente, existem duas situações bem distintas e claras. Quando os locais, que produzem este tipo de serviços, são criados de raiz e são de grande dimensão, a aposta centrase na existência de um ou vários tanques, onde se desenvolvem múltiplas actividades aquáticas.

Quando a dimensão é mais pequena e as instalações correspondem ao reaproveitamento de instalações previamente construídas, separam-se os negócios.

A inclusão de instalações e oferta de produtos ligados com a água aumenta de forma muito importante a complexidade da gestão do complexo, pelos preços da construção e manutenção dos equipamentos, mas também pela dificuldade em manter a qualidade dos serviços, especialmente motivada pelas exigências impostas ao nível do controle dos fatores de risco da saúde.

Hoje observa-se um desenvolvimento muito interessante de uma gama de serviços genericamente aglutinados no conceito spa (salut per acqua) que, em alguns casos, se juntam tanto às piscinas, como aos centros de wellness, como até se apresentam isolados, provocando uma diferenciação relativamente grande nas instituições que oferecem serviços nesta área da saúde, da recreação e do entretenimento.

Hoje falar de desporto é desenvolver linhas de serviços de acordo com as principais nichos de mercado da sociedade (jovens, Terceira idade, adultos activos), é resolver problemas graves das sociedades pós-modernas: o sedentarismo, a solidão, a obesidade, a forma física, a aventura, os padrões físicos predominantes e o entretenimento. A qualidade dos serviços, do atendimento, das instalações, dos equipamentos e das acessibilidades sobre todas as suas formas tornaram-se nos indicadores fundamentais de um negócio que já sabe que continuará a crescer nos próximos anos.

Qual será o futuro deste setor de serviços de atividade física, do desporto e da saúde?

Fonte: Médicos de Portugal

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

Um comentário:

  1. Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online.Emily Nascimento

    ResponderExcluir