Atividade física e suor: algumas dicas para os esportistas eventuais








Quem tem o hábito de praticar esportes ou alguma atividade física tem a transpiração mais intensa. Segundo dados da Sociedade Internacional de Hiperidrose, são 65% de homens e mulheres que praticam alguma atividade física sofrem com o excesso de suor. E para as pessoas que apresentam este quadro, o incômodo aumenta todos os dias, já que mesmo sendo período de férias, a rotina acelerada não pára.

Hora ou outra circulam na internet mensagens que confundem quanto ao uso dos desodorantes anti-transpirantes. A última é que o cloridróxido de alumínio pode gerar câncer ou Alzheimer. Porém, pesquisas feitas na Europa não comprovam nenhuma relação entre o aparecimento dessas doenças com as formulações em cremes, sprays, aerossóis ou rollon.

As composições do desodorantes, normalmente, contam com duas partes. A primeira de efeito antitranspirante, e também outros que tem efeito antibacteriano (bactericida). "Sabemos que o cloridróxido de alumínio pode causar alergias pelo seu poder irritativo em pessoas sensíveis.", salienta Marcelo Bellini, médico dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Nos casos de sudorese intensa, sem doença associada, podem utilizar fórmulas com 20% de cloridróxido de alumínio com segurança. "Além disso, contamos com anticolinérgicos (via oral), mas podemos gerar efeitos colaterais indesejados, além da aplicação de toxina Botulínica com excelentes resultados sem efeito colaterais.", complementa Bellini.

Para evitar o constrangimento e manter a saúde corporal em dia, Bellini oferece dicas de como dar um chega para lá neste temido odor. Confira:

• Usar roupas de algodão ou tecido tecnológico;

• Evitar roupas de fios sintéticos;

• Cuidado com os desodorantes e creme que podem obstruir os poros;

• Utilize sabonete bactericida uma vez por semana;

• Se apresentar sinais de alergia, opte por uma solução de leite de magnésia como desodorante (aplique-o com algodão diretamente nas axilas). Mas não deixe de consultar um médico sobre o problema.


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: