Tabagismo e a atividade física







 
O fumo, ou cigarro, que já foi símbolo de charme nos filmes até inicio dos anos 80, passou a ter o seu papel de vilão com a divulgação dos efeitos causados, principalmente, pela nicotina que estimula o vício (lembrando que são cerca de 500 substâncias tóxicas em cada cigarro). Como principais efeitos temos: sensação de prazer; estimulante; redutor de apetite, podendo levar a anemia; problemas circulatórios (coração e pulmões); câncer de pulmão, bexiga e próstata, entre outros: aumentam o risco de aborto e de parto prematuro; mulheres que fumam durante a gravidez têm, em geral, filhos com peso abaixo do normal.

Mesmo com filtro, os gases que passam prejudicam o nosso organismo, dois deles são devastadores: o monóxido de carbono e o gás carbônico (dióxido de carbono), ambos competem com o oxigênio uma vaga na hemoglobina existente nas células sanguíneas, ou seja, deixamos de captar oxigênio e com isso diminuímos a capacidade respiratória, o que por sua vez irá reduzir a performance, principalmente durante o esforço, situação que necessita ainda mais do oxigênio, resumindo: captando menos oxigênio, cansamos mais rápido.

O cigarro, também, aumenta a pressão, pois ele aumenta a quantidade de vezes que o coração bate e reduz a passagem do sangue (vasoconstricção); causa diminuição do sono e da perda de calor; aumenta o metabolismo (maior gasto de energia); e quando a nicotina é retirada ele faz com que haja um aumento da taxa de gordura corporal. Fica, assim, comprometida a prática de atividades físicas de resistência (longa duração), justamente por uma maior demanda de oxigênio que não consegue ser suprida devido ao excesso de monóxido de carbono no sangue, e como agüentar uma longa jornada de exercícios físicos sem o oxigênio?

Em atividades onde a capacidade de desempenho corporal não é principal para o desempenho a dependência da capacidade cardio-pulmonar (atividades de curta duração), é pouca a influência do cigarro, entretanto, devemos considerar a influência sobre a capacidade de recuperação do indivíduo, onde é grande a participação do oxigênio neste processo, o que também acaba afetando o indivíduo, que já não consegue se recuperar do esforço do dia anterior. "O Ministério da Saúde Adverte...", mas é você quem decide. Pense se vale a pena.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: