Ginástica Hipopressiva









Poucas pessoas ouviram falar, mas a ginástica hipopressiva oferece benefícios que deixariam muita gente interessada em seu resultado. Com o objetivo principal de restabelecer a anatomia pélvica, melhorando a função muscular do abdômen e do períneo e, conseqüentemente, o posicionamento dos órgãos internos, este tipo de atividade, que a princípio é indicada para fins de saúde, pode proporcionar efeitos estéticos na definição do abdômen.

A hipopressiva é recomendada para o combate a constipação intestinal e os problemas posturais. Na Europa, em países como Bélgica e França, ela é bem popular. Os exercícios trabalham basicamente a respiração e a postura e são feitos para reduzir a pressão intra-abdominal. Assim, protegem, reforçam e estimulam os músculos do assoalho pélvico (que controlam o fluxo de urina e a contração da vagina), evitam dores lombares, constipações intestinais (prisão de ventre) e pubalgias (condições inflamatórias dolorosas envolvendo ossos do púbis). Ao trabalhar a respiração, essa ginástica também leva mais ar para os pulmões, melhorando a capacidade deles. Este quadro estimula até mesmo uma melhora nas relações sexuais.

Comparado com os abdominais tradicionais, a hipopressiva auxilia no maior controle dos diferentes músculos abdominais, uma vez que estimula mais percepção da região abdominal e de seus órgãos. Já o sistema comumente realizado para o fortalecimento dos músculos dessa região favorece o aumento da pressão intra-abdominal e, com isso, há um aumento da sobrecarga no períneo e na coluna.

Os exercícios devem ser praticados em pequenas séries, três vezes por semana. Inicialmente podem ser realizados duas vezes no consultório do fisioterapeuta e uma vez em casa. Ganhando habilidade, o praticante passa a fazer duas vezes em casa e uma vez no consultório. Os resultados surgem em três meses mediante a prática correta das atividades.

Equipe Bem Star


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: