Atividade física e doença arterial coronariana: revisando a literatura







Trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura nacional e internacional, no período de 2000 a 2005, que teve como objetivo evidenciar a contribuição da atividade física na prevenção primária da doença arterial coronariana (DAC). Os artigos foram capturados nas bases de dados PubMed (incluindo MEDLINE) e LILACS, utilizando-se descritores relacionados à intervenção, ao enfoque, à morbidade e aos fatores de risco. Vinte e dois artigos atenderam aos critérios de inclusão deste trabalho e constituíram a amostra. Para a organização dos dados, foi utilizado um instrumento que registrou as informações essenciais dos artigos: título; fonte (dados da revista); número da busca e do resumo; autor(es); país; ano; local do estudo; objetivos; sujeitos e período da pesquisa; método e o que foi analisado; tipo de intervenção e responsável pela mesma; resultados efetivos; conclusões do autor; limitações citadas pelo autor e comentários sobre o estudo. Os resultados foram apresentados em categorias de acordo com o desenho metodológico do artigo, com os objetivos, com a forma de descrição e mensuração da atividade física e com o conteúdo das publicações. Foram notadas semelhanças nestes aspectos entre os artigos de mesmo desenho metodológico. Doze artigos foram categorizados como estudos prospectivos, sete como de corte transversal e três foram os estudos retrospectivos. A maioria dos estudos utilizou questionários do tipo recordatório para avaliar o nível de atividade física realizada no trabalho e no lazer, fazendo correlação entre o nível e o tipo de atividade. Os benefícios das atividades aeróbicas foram os mais descritos, ainda que o exercício resistido tenha sido abordado em dois artigos. Apesar de alguns estudos terem enfocado apenas a mensuração do nível de atividade física, a maioria dos artigos apresentou correlação entre a prática de atividade física e a redução do risco coronariano, contribuindo para prevenir a DAC. Não houve consenso, ainda que a maioria dos estudos tenha abordado o assunto, quanto ao nível e ao tipo de atividade física que promove o melhor efeito preventivo. Consideramos que poderia ter sido utilizado um descritor mais específico do que "atividade física" para buscar os artigos, visando-se a atingir os objetivos propostos. Este estudo evidencia a contribuição benéfica da atividade física na prevenção primária da DAC, atuando nos seus fatores de risco. Além disso, há necessidade de considerar a atividade física como uma prática corporal orientada pelas necessidades individuais e implementada de acordo com as realidades locais, podendo ser uma ferramenta-chave ao lidar com o indivíduo portador de DAC.

Artigo completo

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: