Exercícios físicos na terceira idade







Exercícios físicos na terceira idade Por Cristina Gumiero São Paulo, 27 (AE) - Os exercícios regulares e contínuos associados a uma alimentação saudável são condutas benéficas para combater o sedentarismo e manter a saúde física, mental e psicológica dos idosos, principalmente com o aumento da expectativa de vida do brasileiro de 62 para 72 anos, de acordo com recente estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) mostram que 57% dos idosos entre 60 e 70 anos não praticam qualquer atividade física. Nesta idade, o sedentarismo tem um preço alto: perda da massa muscular (sarcopenia) - entre 35% a 49%, redução da força nos membros inferiores, diminuição da amplitude da passada e da velocidade de andar e, conseqüentemente, as temidas quedas e conseqüentemente fraturas, fator que representa o declínio da saúde dos idosos e marcador de grande fragilidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 5% a 10% da população com idade acima de 60 anos sofre algum tipo de acidente doméstico grave. A falta de condicionamento físico também compromete a realização de tarefas simples do cotidiano, como tomar banho, vestir-se, recolher o lixo, acondicionar compras e mantimentos na dispensa e até brincar e cuidar dos netos. (este parágrafo poderia ser descolado do seguinte) Para manter a força da musculatura, da flexibilidade e do equilíbrio são necessárias atividades físicas regulares e contínuas numa combinação de no mínimo três exercícios: treino de força, de flexibilidade e de equilíbrio. O treinamento de força, que inclui levantamento de peso e alongamento com cintas elásticas, entre outros métodos, é indicado para fortalecer os músculos das pernas, coxas, quadril, costas e peitoral. É muito eficaz principalmente na prevenção e tratamento de doenças como a osteopenia e a osteoporose, hipertensão arterial e diabetes. O de flexibilidade consiste em exercícios de alongamento e pilates, método de condicionamento físico e mental que trabalha o corpo de forma global. O treino de equilíbrio, que ajuda a manter as condições motoras e a estabilidade, pode ser feito sentado ou em pé - ele apóia o peso do corpo em uma perna enquanto tenta se manter reto. Todas essas atividades devem ser acompanhadas por uma equipe multidisciplinar que inclui o geriatra, psicólogo, fisioterapeuta, o profissional de educação física, e principalmente dos familiares. Segundo a personal trainer Simone Diniz, que desenvolve programas de atividade física com idosos na Clínica Lage Ortopedia de Ponta, na região central de São Paulo, o trabalho de condicionamento físico pode ser feito diariamente até em casa, principalmente para aqueles mais frágeis, que sofreram quedas. "Para trabalhar e fortalecer os membros inferiores, pode-se fazer exercícios como sentar e levantar da cadeira, que simulam um agachamento, entre outros. Esses exercícios também ajudam na manutenção do equilíbrio e da autoconfiança", diz ela. O uso de acessórios como tornozeleira, bastão, alteres e faixas elásticas também são grandes aliados para fortalecer os membros inferiores e superiores. Esses exercícios devem ser realizados durante no mínimo dois meses, de acordo com a professora. Depois, com os músculos mais fortalecidos, o idoso pode começar uma caminhada diária de cerca de 15 minutos, inicialmente, e ir aumentando gradativamente. Práticas como natação, alongamentos e exercícios que trabalhem a propriocepção (capacidade de perceber cada parte do corpo) também são indicados pela personal, que atua também como monitora do programa Educação Física para Idosos, da Universidade de São Paulo (USP), com alunos com idades entre 65 e 93 anos. "A questão não é viver muito, é viver bem!", diz ela. SERVIÇO: Clínica Lage Ortopedia de Ponta Tel.: (11) 8145-5882

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: