Para diabéticos atletas: equilibrando o açucar







Para manter a variação normal do açúcar no sangue necessária uma ação de equilíbrio constante. Às vezes, adicionar uma atividade física traz um novo desafio. A captação de glicose sangüínea induzida pelo exercício pode resultar em hipoglicemia durante ou após a atividade.

Caso o nível de insulina circulante esteja alto no início do exercício, a insulina extra pode causar captação excessiva de glicose, levando à hipoglicemia. Por outro lado, a atividade física durante uma elevação na glicemia e nas cetonas (que indica falta de insulina) pode fazer com que o açúcar no sangue suba ainda mais, aumentando o risco de cetoacidose diabética (CAD), que requer hospitalização.

O desafio adicional é o risco de hipoglicemia de início tardio que pode ocorrer após a prática do exercício (até 48h), enquanto a sensibilidade à insulina está elevada durante a restauração da glicose (glicogênio) no músculo.

A resposta do açúcar no sangue é afetada por algumas variáveis, entre elas: horário do dia; horário que a insulina foi aplicada e o tipo de insulina utilizada; local da aplicação; horário da última refeição e o tipo de alimento consumido; nível do açúcar no sangue quando o exercício foi iniciado; o tipo, a intensidade e a duração da atividade; temperatura; nível de hidratação, entre outros.

A melhor maneira de lidar com todas as variáveis é aprender quais são suas próprias respostas a todas elas, verificando o nível de açúcar no sangue antes, durante e depois do exercício.


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: