A atividade física é sempre saudável?







Estamos todo o tempo sendo bombardeados por informações das mais variadas, que nos sugerem uma vida mais saudável em que seus modelos são pessoas perfeitas no físico e na mente. Tomamos então a decisão de iniciar um programa que pelo menos nos aproxime desta realidade.

Mas, por onde começar? Muito mais simples seria pelas informações contidas nestes bombardeios que, longe de estarem incorretas, podem representar desafios inatingíveis, níveis de exigência incompatíveis com sua realidade atual, que acabam levando a situações de risco para a saúde ou mesmo na melhor das hipóteses a desistência de um projeto que se mostrava promissor.

Então, por onde começar? Sem dúvida se conhecendo. Marcar uma consulta com seu médico de confiança, de preferência especialista na sua proposta e necessidade atual, médico que saiba avaliar e prescrever exercícios e aconselhar nos esportes, o verdadeiro médico especializado em Medicina do Esporte. Este profissional terá condições através de sua história clínica, esportiva e exame físico determinar exames complementares que terão dois objetivos: avaliar sua saúde atual e produzir parâmetros que permitam o acompanhamento de seu condicionamento.

Já nesta consulta algumas respostas podem ser obtidas:

É melhor correr ou caminhar? Determinar se você pode ou não correr depende de dois fatores básicos: seu atual condicionamento físico e seus objetivos atuais. Atividade mais praticada no mundo inteiro é trabalho aeróbio e beneficia principalmente o coração, devendo fazer parte de qualquer programa de condicionamento físico.

A intensidade de trabalho obtida por testes complementares, como o ergométrico, é quem determina se sua freqüência cardíaca de treino será obtida caminhando ou correndo. Forçar o ritmo principalmente para iniciantes pode custar algumas lesões no aparelho locomotor, como tendinites, periostites e até fratura por estresse.

Qual o melhor horário para me exercitar? Pela manhã em um país tropical como o nosso, você desfruta de uma temperatura mais amena. Procure no verão usar roupas leves e no inverno, a medida que o corpo se aquece, livre-se das roupas mais pesadas, promovendo um controle mais eficiente da temperatura corporal. Nas grandes cidades a poluição é menor neste horário também.

Apenas as corridas ou caminhadas são suficientes? Não. Um bom programa de condicionamento físico deve conter alongamento envolvendo pelo menos os grandes grupos musculares e aumento de resistência muscular localizada, exercícios com pouco peso e muita repetição. É desta maneira que você pode passar da caminhada para a corrida de maneira segura, por exemplo.

A avaliação inicial poderá mostrar situações que exijam adaptações. Várias alterações cardiológicas podem ser incompatíveis com corridas ou esportes competitivos mesmo não profissionais, mas melhoram com caminhadas ou esportes recreativos, por exemplo. Algumas alterações do aparelho locomotor observadas no exame físico, como desvios do eixo dos membros inferiores ou encurtamento de um membro, podem indicar a troca por atividades de baixo impacto prevenindo sobrecargas sobre uma articulação com potencial para degenerar mais precocemente.

Lembre-se que o Médico do Esporte é o profissional que sempre irá indicar uma atividade física regular e saudável, segura e adaptada a sua necessidade atual.

* Ricardo Munir Nahas é médico, especialista em medicina esportiva e presidente da SBME (Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte)


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: