Saiba ais sobre a Psicologia Desportiva









"Não são apenas músculos fortes, um tônus muscular melhor,
é o poder que você tem. A força física de seu corpo e também de sua mente. São exercícios que afetam esses dois lados: o corpo e a mente.
Você só aprende fazendo, preste muita atenção nisso.
Quando aprendi que isso era algo muito especial, comecei a me conhecer melhor. Basicamente é isso, você se conhece melhor. Conhece suas limitações, suas forças e qualidades.
Você tenta criar um conjunto, ser uma pessoa mais estável."

Ayrton Senna da Silva

O treinamento psicológico é tão importante quanto o preparo físico; e não poderia ser diferente, a qualidade técnica já é tão explorada que a competência emocional é que faz a diferença nas competições. Aqui, tentaremos esclarecer suas dúvidas sobre esse pouco explorado e fascinante campo de atuação do psicólogo.

Não é raro encontrarmos alguém falando que um jogador "amarelou", "é mascarado", "jogou de salto alto". Isso mostra que a importância de um treinamento psicológico já é do conhecimento do torcedor.

Em 1965, em Roma, foi realizado o I Congresso Mundial de Psicologia do Esporte, organizado pelo psiquiatra italiano Ferruccio Antonelli. Desde então, as pesquisas e publicações sobre o tema se intensificaram. Foram fundadas as sociedades nacionais de Psicologia do Esporte na Europa e Estados Unidos e muitos profissionais se formaram nessa ciência.

No Brasil, o primeiro trabalho que se tem registro (Feige,1977), foi desenvolvido por João Carvalhaes em 1954, no Departamento de Árbitros da Federação Paulista de Futebol. Porém, o marco da evolução da Psicologia Desportiva no Brasil, é lembrado pelo I Simpósio Internacional de Psicologia Aplicada ao Esporte e I Congresso Brasileiro de Psicologia Desportiva, realizados em 1981, em Porto Alegre, R. S. No primeiro semestre de 2000, foi fundado o Colégio Brasileiro de Psicologia do Esporte, com sede provisória no Maracanã, RJ. Esse foi um grande passo para a integração dos profissionais que trabalham na área.

Penso que para a prática da psicologia do esporte, é preciso ser, antes de tudo, apaixonado. Não só pelo trabalho realizado, mas pelo esporte, pela vitória, pelo empenho em dar o melhor de si, independente do resultado que obterá. A superação de seus limites só acontece a partir do conhecimento dos mesmos, de um equilíbrio entre o que eu quero e o que eu posso, e de saber que eu posso tudo o que eu quero.

O objetivo maior do trabalho é a integração de aspectos psico-físicos do atleta, potencializando suas qualidades motoras, estimulando o auto-controle e aumentando o rendimento. Considerando que o atleta é um ser humano bio-psico-social e tem o corpo como instrumento de trabalho, é preciso direcionar uma atenção especial aos aspectos ligados ao aumento da concentração, ao controle de ansiedade e estresse, à motivação, à paciência, à responsabilidade, ao compromisso com objetivos, à comunicação e auto-confiança, além da superação dos limites e capacidade de aprender com erros e críticas. Também é muito importante ressaltar o acompanhamento à formação de futuros desportistas.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: