Esporte com Saúde em Problemas Posturais

http://www.livresportes.com.br/images/reportagens/foto_texto_9bb0f4d2859c16f48b1d79c9d96e04b0.jpeg

Com o passar dos anos, a coluna é submetida a uma série de posturas erradas e que podem ter consequências sérias.  Se o problema não for resolvido, podem se tornar crônicas e intensas, a ponto de evoluírem para distúrbios mais sérios da coluna. Em alguns casos, é necessária uma cirurgia. No caso da "formação de barriga", pode acontecer porque as pessoas jogam o corpo para a frente, e a lombar fica bem retraída.Isso não significa que seja um percentual de gordura, e sim, um problema causado pela postura ruim. Para esses casos, é fundamental atividades abdominais.

Para uma reeducação postural, os exercícios devem ajudar e trabalhar a parte da coluna e, principalmente, promover uma mudança na rotina durante o dia. É importante ressaltar que uma postura ruim, na maioria das vezes, está relacionada com o sedentarismo. O alongamento pode ser muito bom para relaxar os músculos. Já abdominal e exercícios que possam trabalhar a coluna, o glúteo e os músculos que estão apoiando a coluna vertebral também são indicados.

Pessoas com escoliose (coluna em forma de S) devem fazer atividade física para amenizar o problema. Primeiramente, precisam procurar um médico para entender qual o grau em que a doença se encontra. Depois, buscar um profissional de educação física para avaliação e indicação dos melhores exercícios. É importante lembrar que, independentemente do estado físico, todos precisam de autorização médica e avaliação de um profissional antes de praticar qualquer exercício. Não realizar as atividades corretamente pode ocasionar dores fortes e agravar problemas de coluna.

Exercícios mais indicados

•    Pilates
•    Ioga
•    Abdominais
•    Dança
•    Natação
•    Balé
•    Musculação
•    Equitação
•    Exercícios com elástico

Esporte com Saúde na Osteoporose

http://cdn.mundodastribos.com/279945-exercicios_fisicos-osteoporose.jpg

A osteoporose é uma doença que atinge os ossos. Caracteriza-se quando a quantidade de massa óssea diminui substancialmente e desenvolve ossos ocos, finos e de extrema sensibilidade, mais sujeitos a fraturas. 

Faz parte do processo normal de envelhecimento e é mais comum em mulheres que em homens. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas. Se não forem feitos exames pode passar despercebida.

Algumas das praticas que podem ser realizadas em pessoas com osteoporose:

- Alongamento geral;

- Correção da postura (tendência à cifose acentuada e à escoliose, pelos desequilíbrios laterais);

- Atividades de impacto ósseo (caminhada, corrida, subir escadas);

- Atividades de grande sobrecarga muscular (musculação);

- Atividades aeróbias (benefícios cardiovasculares). Entre os fatores de risco da osteoporose (sexo, raça, hereditariedade, menopausa, dieta e farmacológicos), podemos destacar a inatividade física como um dos fatores mais importantes. T

alvez se um maior número de pessoas estivesse engajado em um programa de atividade física, muitos problemas poderiam ser evitados (problemas financeiros e emocionais devido a acidentes causados pela osteoporose), possibilitando uma vida mais produtiva, com qualidade melhor para várias pessoas. Aumentar a atividade física reduz a perda óssea e o risco de quedas.

O risco de fratura é o grande perigo da osteoporose. As mais comuns são as de punho, vértebras, costelas e, principalmente, a do colo do fêmur (osso da coxa). Elas acabam limitando a vida do idoso e muitas vezes trazem muitas complicações à sua saúde.

Metade das pessoas com fraturas no fêmur passam a ter dificuldades de locomoção. Cerca de 40% apresentam complicações circulatórias, infecções respiratórias e desencadeamento de diabetes.

A fratura de fêmur é a conseqüência mais dramática da osteoporose. Cerca de 15% a 20% dos pacientes com fratura de quadril morrem devido à fratura ou suas complicações durante a cirurgia, ou mais tarde por embolia ou problemas cardiopulmonares em um período de 3 meses e 1/3 do total de fraturados morrerão em 6 meses. Os restantes, em sua maioria, ficam com graus variáveis de incapacidade.

A força muscular sobre os ossos constitui o estímulo fundamental para a manutenção e o aumento da massa óssea. O que quer dizer que os exercícios na água, como a hidroginástica e a natação, ou mesmo aqueles realizados em bicicleta, não trazem os benefícios observados com exercícios do tipo caminhar, correr, dançar, jogar tênis, peteca ou praticar algum esporte coletivo como o futebol, o basquete e o voleibol.

Os pacientes devem ser estimulados a fazer exercícios; um programa de atividade física pode ser encontrado em muitos lugares (o mais importante é que esses exercícios devem ser com carga e realizados durante pelo menos 30 minutos por dia). Um dos exercícios mais simples é caminhar. Os exercícios não devem aumentar o risco de queda, nem sobrecarregar excessivamente qualquer osso, sendo que o exercício é uma proposta para aumentar a massa óssea e a massa muscular, ou seja, a capacidade funcional, a fim de prevenir quedas e assim reduzir o número de fraturas.

O impacto da atividade física é essencial para o desenvolvimento do esqueleto no durante infância e na adolescência e manter a massa óssea em adultos jovens. A prática uma atividade física numa pessoa com osteoporose, deve ser realizada com cuidado, procure antecipadamente um médico, veja as precauções existentes ao praticar um exercício e siga corretamente os métodos adotados por um profissional qualificado e competente!!

Esporte com Saúde na Bronquite Crônica



Acho que não há dúvidas que a prática do esporte/atividade física/exercícios contribui para a melhora de qualidade de vida da pessoa. Isso inclui as pessoas que sofrem de alguma doença respiratória, como a bronquite. A Bronquite é uma inflamação dos brônquios, canais que conduzem o ar inalado até os alvéolos pulmonares. hà uma dificuldade maior de respirar e o exercício físico, por provocar a expansão pulmonar pode ajudar nesse processo.


Mesmo tendo algumas limitações fisiológicas, a pessoa não deve se afastar das atividades físicas. Quando o corpo de uma pessoa que tem doenças pulmonares crônicas se acostuma com a carga de exercício, ele passa a utilizar melhor o oxigênio, a respirar com mais facilidade devido ao fortalecimento dos músculos responsáveis pela respiração. Além disso, mexer o corpo ainda aumenta a circulação do sangue, fortalece o coração e diminui a pressão sanguínea.

Todas as pessoas que querem começar a fazer uma atividade física devem procurar um especialista para fazer uma avaliação médica. Esse procedimento potencializa o treino, já que o tipo específico de exercício é escolhido para cada indivíduo, levando em conta todas as suas limitações.

Para quem tem bronquite crônica, é importante tomar algumas precauções com o objetivo de evitar desconfortos ou acidentes: não fazer exercícios sozinho em áreas isoladas como trilhas e parques florestais, não exercitar-se fora de casa quando o a temperatura está muito elevada ou quando o clima está muito seco e não aumentar a carga do exercício sem antes consultar o preparador físico. 

A natação é uma das alternativas mais indicadas por médicos para ajudar na recuperação ou para o tratamento de problemas pulmonares crônicos. Ela ajuda a aumentar a entrada de ar nas vias respiratórias por causa da maior umidade relativa do ar. Além disso, a água funciona como um vasodilatador, que facilita a circulação sanguínea e o trabalho do coração.

A caminhada, corrida leve e esportes que utilizam esses mecanismos também são muito indicadas pelos médicos para quem sofre com problemas respiratórios. É um exercício muito fácil de adaptar para cada situação, e é muito eficiente no controle da obesidade, colesterol, diabetes e da hipertensão.

A natação, a caminhada e corrida são exercícios que beneficiam o condicionamento físico, o que  facilitam a prática de esportes do que pessoas sadias que não tem o hábito de caminhar ou correr. 

Dois exercícios para se fazer no aquecimento:

- Relaxe o pescoço e os músculos dos ombros e depois inspirar pelo nariz e expirar pela boca.

- Deite com as costas no chão, flexione as pernas, coloque uma mão na barriga e outra em cima da caixa torácica e depois inspirar profundamente. Para o exercício fazer efeito, a barriga deve se levantar, mas o peitoral deve continuar parado.

Esses exercícios devem ser executados em cinco a dez minutos.

É importante salientar que, durante o treino, sintomas como dores no peito, enjoo, fraqueza e queda brusca de pressão são sinais de que a pessoa deve parar imediatamente.

Atividade física não precisa ser intensa para trazer benefícios

http://veja2.abrilm.com.br/assets/images/2010/11/21714/chegada-getty-home-corrida-size-598.jpg

Ainda há pessoas que sao totalmente sedentárias, que não praticam nenhum tipo de atividade física. Porém é importante esclarecer que atividades como passear com o cachorro, andar de bicicleta e subir escadas, quando praticadas regularmente, estimulam o bem-estar físico e mental e também reduzem, de forma eficaz, as consequências ligadas à inatividade.

O sedentarismo é um dos fatores de risco intimamente relacionado ao aparecimento de doenças respiratórias crônicas, hipertensão e distúrbios cardíacos, entre outras patologias. É importante salientar que quem optar por uma prática esportiva ou uma atividade específica para emagrecimento, por exemplo, deve procurar um profissional na área de educação física para receber as orientações adequadas, seguras e que tragam melhores resultados.

A atividade física deve ser realizada de maneira moderada e não precisa ser extenuante para trazer benefícios à saúde, tais como:

— Diminui o risco de desenvolver diabetes
— Reduz o risco de doenças cardiovasculares
— Ajuda a diminuir a pressão sanguínea
— Reduz o risco de desenvolver câncer de cólon
— Diminui a ansiedade e a depressão
— Ajuda a controlar o peso corporal
— Ajuda a manter ossos, músculos e articulações saudáveis
— Reduz o risco de desenvolver pressão alta
— Ajuda idosos a ficarem mais fortes, com melhor movimentação e menos quedas

Então, para quem está sedentário, vamos mudar alguns hábitos de vida, assim teremos mais qualidade no nosso dia a dia.

Atividade física deve ser recomendada como tratamento e prevenção de doenças

 

Apesar de a prática de exercício físico regular trazer inúmeros benefícios à saúde e ser um dos métodos preventivos mais eficientes contra muitas doenças, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o sedentarismo é uma das principais causas das 300 mil mortes anuais por doenças cardíacas do país.

Para o cardiologista e médico do esporte Daniel Kopiler, a atividade física deveria ser recomendada como medicação.

"O maior desafio é tornar a atividade física uma prioridade para melhorar a saúde da população e reduzir os riscos de doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, entre outras", defende.

De acordo com o especialista, "o exercício físico diminui em cerca de 30% os riscos de desenvolver doença coronariana, e reduz aproximadamente em 50% os riscos de hipertensão".

Segundo Kopiler, um levantamento realizado com cardiologistas nos EUA mostrou que apenas 15 em cada 100 médicos reforçavam voluntariamente a importância da atividade física para seus pacientes em reabilitação cardíaca.

"Há muitas pesquisas sobre novos medicamentos, mas o melhor deles, o mais antigo e democrático, tem sido preterido. Todos os profissionais de saúde deveriam recomendar atividade física para tratamento e prevenção de doenças", recomenda.

Um estudo realizado em 2002 pelo pesquisador Jonathan Myers (Universidade Stanford, EUA) comparou a aptidão física entre homens até 70 anos com e sem doença cardiovascular.

As pessoas sem doença cardiovascular que não tinham preparo físico adequado apresentaram risco de mortalidade duas vezes maior do que o grupo que tinha doença cardiovascular e ótimo preparo físico.

"Há outros estudos comparando pessoas apenas com hipertensão e hipertensos com outros fatores de risco, como diabetes e colesterol elevado. Os resultados mostraram que os com melhor preparo físico conseguiram diminuir o impacto dos outros fatores de risco", conta Kopiler.

Segundo um estudo de 2012, liderado por I-Min Lee, na América Latina, o estilo de vida sedentário é responsável por 11,4% de todas as mortes por doenças como diabetes, problemas cardíacos e câncer de mama e do cólon.

A busca por alternativas para estimular a população a ter uma vida mais ativa será discutida por profissionais de saúde da América Latina na Série Científica Latino-Americana 2014, em Buenos Aires, nos dias 11 e 12 de setembro.

Saiba todos os benefícios da Corrida

Saiba todos os benefícios desta atividade física

Uns poucos minutos ao dia são suficientes para combater problemas futuros


Correr apenas alguns minutos por dia, ainda que a baixa velocidade, pode reduzir significativamente o risco de de morte por doença cardiovascular em comparação com alguém que não faz este tipo de atividade física, de acordo com um estudo publicado segunda-feira no "Journal of the American College of Cardiology ".

Está bem estabelecido que o exercício é uma forma de prevenir doenças cardíacas e um componente de vida saudável em geral, mas não está claro se há benefícios para a saúde se for realizada menos de 75 minutos por semana, o tempo de atividade física intensa recomendado pelo governo dos EUA e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os pesquisadores estudaram 55.137 adultos com idade entre 18 e 100 anos, por um período de 15 anos para determinar se existe uma relação entre o desempenho e a longevidade.

No período do estudo, 3.413 participantes morreram, incluindo 1.217 pessoas cujas mortes foram relacionadas à doença cardiovascular. Nesta população, 24 por cento dos participantes relataram que não fazem exercício em seu tempo livre.

Em comparação com os não-corredores, os corredores tinham um risco 30 por cento menor de morte por todas as causas e de 45 por cento menor risco de morte por doença cardíaca ou acidente vascular cerebral e que vivem, em média, três anos mais, em comparação a aqueles que não praticam este exercício.

Os autores acreditam que a promoção da atividade de corrida é tão importante como a prevenção do tabagismo, obesidade ou hipertensão para reduzir o risco de mortalidade na população. Os benefícios deste exercício é o mesmo, independentemente do tempo, distância, velocidade ou frequência de participantes que relataram também que os efeitos positivos para a saúde eram as mesmo, independentemente do sexo, idade, índice de massa corporal , condições de saúde, o tabagismo ou o consumo de álcool.

"Como o tempo é uma das mais fortes barreiras ao participar de atividade física, o estudo pode encorajar mais pessoas a começar a correr e manter o exercício como um alvo para os benefícios de saúde a preços acessíveis contra a mortalidade. Correr pode ser uma opção melhor para o exercício, que muitos exercícios mais moderados já que produz semelhante, se não maior, benefício contra mortalidade com cinco a 10 minutos, em comparação com 15 a 20 minutos por dia de atividade de intensidade moderada que muitos acham muito demorado ", concluiu o estudo.

Video: beneficios da atividade fisica na saúde



Atualmente, a atividade física é uma questão de saúde pública. Os benefícios da prática da atividade física são amplamente reconhecidos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a atividade física reduz o risco de morte prematura por doenças cardiovasculares, diabetes do tipo II e cancro do cólon, reduz ainda a depressão e a ansiedade, ajuda a controlar o peso corporal, a reduzir a hipertensão arterial, a manter a saúde e o bom funcionamento do sistema músculo-esquelético, a melhorar a mobilidade e a promover o bem-estar psicológico.

Um estilo de vida ativo, incluindo uma prática regular de exercício físico, como tem sido insistentemente sublinhado, permite melhorar a qualidade de vida dos indivíduos de várias formas, sendo frequentemente salientados benefícios físicos e psicológicos associados à prática de exercício físico:
  • Na manutenção ou desenvolvimento das estruturas ósseas e musculares
  • Na prevenção ou redução da tensão arterial
  • Aumento da capacidade de resposta do organismo para combater o stress
  • Alívio da tensão muscular
  • Redução da dor
  • Melhor percepção de bem-estar
  • Uma maior percepção de eficácia e controlo pessoal
  • Período de atividade que possibilita um tempo de afastamento e distração face aos problemas do cotidiano

Caminhar durante as manhãs de inverno ajuda no combate ao diabetes


Caminhar durante a manhã no inverno ajuda no combate ao diabetes e a obesidade porque ajuda a regenerar a gordura parda ou tecido adiposo marrom, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira (23) na Austrália.

Os pesquisadores viram que a gordura parda ou gordura de bebê, que ajuda os recém-nascidos a manter a temperatura corporal, pode queimar energia com maior rapidez do que a gordura comum ou branca, que armazena energia e provoca aumento da massa corporal.

Os cientistas descobriram que se uma pessoa é exposta a temperaturas de cerca de 19ºC, ela é capaz de regenerar a gordura parda em quatro semanas, segundo a emissora local "ABC".

O chefe da equipe investigadora, o endocrinologista australiano Paul Lee, disse que este descobrimento pode ser uma das chaves para combater a obesidade, que afeta grande parte da população.

"A gordura branca ordinária armazena energia, mas quando há muita, pode causar diabetes, pressão alta e uma série de desordens no metabolismo", disse Lee.

Por outro lado, "a gordura parda não armazena a energia, mas sim promove a queima, e é por essa razão que os animais que possuem muito gordura parda estão protegidos contra o diabetes, a obesidade e uma série de desordens metabólicos".

Para efeitos do estudo, Lee recrutou cinco homens em bom estado de saúde para que passeassem a cada noite, durante quatro meses, em um quarto na qual a temperatura era de 19ºC.

Durante esse período a quantidade de células de gordura parda aumentou em 40%, assim como o metabolismo também acelerou.

Mas quando estas pessoas foram expostas a uma temperatura de 27ºC, a quantidade de células de gordura parda diminuiu e o metabolismo ficou mais lento.

Apesar da temperatura representar uma chave no crescimento da gordura parda, esta por si só não garante a perda do sobrepeso já que requer um treino especial, explicou o médico.

"Se for colocada uma pessoa em um curto prazo em um ambiente frio sem ser aclimado, seu corpo deverá trabalhar com maior força e potencialmente estimulará o apetite para compensar o estresse produzido pelo frio", ressaltou o endocrinologista.

Lee recomendou sair para caminhar durante as manhãs de inverno com um traje mais leve que permita sentir o frio, mas sem sofrer, para motivar a regeneração do gordura parda, embora também lembrou que o ser humano está cada vez mais acostumado a ambientes mais quentes devido ao uso dos sistemas de calefação.