Quem precisa fazer um Teste Cardiopulmonar do Exercício?



O VO2 seria a maior capacidade de oxigênio que uma pessoa consegue utilizar do ar inspirado enquanto faz um exercício físico aeróbico. Ele pode ser estimado por uma série de testes e fórmulas, mas seu valor exato só pode ser medido através do Teste Cardiopulmonar do Exercício (TCPE) também conhecido como Ergoespirometria. Esse exame feito pelo Cardiologista ou Médico do Esporte, acopla os dados obtidos no tradicional Teste Ergométrico, a análise dos gases expirados durante o exercício.

Quem precisa fazer um Teste Cardiopulmonar do Exercício para medir o VO2?

- Atletas amadores para prescrição adequada de exercícios
- Atletas profissionais para acompanhamento de treinamento
- Pessoas com queixas de cansaço ou falta de ar no exercício.
- Avaliação de resposta de medicamentos (em hipertensos, por exemplo)
- Para prescrição de exercícios para cardiopatas ou pneumopatas
- Seleção de pacientes para transplante cardíaco ou pulmonar
- Avaliação da gravidade e prognóstico da insuficiência cardíaca ou pneumopatias crônicas.
- Grandes obesos e aqueles que vão ser submetidos a cirurgia bariátrica
- Para risco cirúrgico ou pré-operatório

Saiba mais sobre o VO2 Máx.



O VO2max se caracteriza por ser a quantidade máxima que um organismo estimulado tem de captar oxigênio do ar atmosférico, transportá-lo pelo sistema cardiovascular e utilizá-lo a nível celular em uma unidade de tempo.

5 dicas e uma SUPERDICA para o Teste de Aptidão Física

Podemos resumir a importância de medir o VO2max da seguinte maneira:

·      É aceito internacionalmente como o melhor parâmetro fisiológico para avaliar, em conjunto a capacidade funcional do sistema cardirespiratório;

·      É um parâmetro fisiológico e metabólico para avaliar a capacidade metabólica oxidativa (aeróbia) durante trabalhos musculares acima do metabolismo basal;

·      É um parâmetro ergométrico utilizado para avaliação da capacidade de trabalho do homem, em diferentes atividades ocupacionais (Medicina do Trabalho);

·      É um parâmetro fisiológico para prescrever atividades físicas sob forma de condicionamento físico normal (sedentários, obesos e idosos) ou sob forma de treinamento físico (preparação física de atletas) ou ainda sob forma de atividades ocupacionais no ambiente de trabalho;

·       É usado em estudos epidemiológicos para comparação de capacidade física entre povos e atletas.

O VO2max  pode ser  e expresso em valores absolutos em litros por minuto (l.min-1), sendo nesse caso mensurado de uma forma bruta ou relativo em mililitros por kilograma por minuto (ml.kg.-1min.-1) que para ser encontrada basta dividir a medida absoluta pela massa corporal do indivíduo avaliado.

A Tabela abaixo mostra a classificação do VO2max de forma relativa em ml.kg.-1min.-1 da American Heart Association, para homens e mulheres em diferentes idades.

Idade

Muito fraca (média)

Fraca

Regular (média)

Boa

Excelente

Homens:

 

 

 

 

 

20-29

< 24

24-30

31-37

38-48

49 ou >

30-39

< 20

20-27

28-33

34-44

45 ou >

40-49

< 17

17-23

24-30

31-41

42 ou >

50-59

< 15

15-20

21-27

28-37

38 ou >

60-69

< 13

13-17

18-23

24-34

35 ou >

Mulheres:

 

 

 

 

 

20-29

< 25

25-33

34-42

43-52

53 ou >

30-39

< 23

23-30

31-38

39-48

49 ou >

40-49

< 20

20-26

27-35

36-44

45 ou >

50-59

< 18

18-24

25-33

34-42

43 ou >

60-69

< 16

16-22

23-30

31-40

41 ou >


Para mensurar o VO2max é necessário à aplicação de testes ergométricos que podem ser máximos e submáximos, diretos e indiretos utilizando diferentes ergômetros como a bicicleta ergométrica (mecânica ou eletromagnética), a esteira rolante, o banco de madeira, o remo-ergômetro (específico para remadores), a piscina ergométrica (específica para nadadores) entre outros que podem ser adaptados para se aproximar o máximo possível de algumas modalidades esportivas.

Para o teste direto é necessário o emprego da ergoespirometria, um procedimento que analisa de uma forma direta e precisa diversas variáveis como consumo de oxigênio (VO2), a produção de gás carbônico (VCO2) e a ventilação (VE) associada ao controle de carga, geralmente esses testes são realizados com protocolos de cargas progressivas que levam o avaliado até a exaustão. Esse tipo de analise é um procedimento mais utilizado em laboratórios devido ao custo bem elevado, e por se tratar de um teste máximo automaticamente exige a presença de um médico em sua aplicação.

Os testes indiretos em sua maioria são baseados na relação linear entre consumo de oxigênio (VO2) e frequência cardíaca (FC), e para estimar o VO2max utiliza-se à resposta da FC relativa à sobrecarga de trabalho que o indivíduo avaliado foi submetido. Esses testes exigem menos recursos financeiros, geralmente são submáximos, os protocolos são de fácil aplicação e por isso são muito utilizados em academias, clubes e outras instituições que prestam serviços de atividade física.

Retirado daqui

Treinamento funcional para praticantes de corrida




O treinamento funcional se baseia na melhoria de aspectos neurológicos que afetam a capacidade funcional do corpo, através de exercícios de propriocepção (percepção do corpo através de um estimulo ou um movimento) que desafiam o sistema nervoso, causando uma adaptação que resulta na melhora das capacidades físicas, como, flexibilidade, velocidade, coordenação, equilíbrio, força e resistência, atuando também em prevenção de lesão e melhora de gestos esportivos, como a corrida.

PROPRIOCEPÇÃO

É a percepção do corpo através de um estimulo ou um movimento. Os proprioceptores são encontrados na cápsula articular, ligamentos, tendões e músculos, quando estimulados informam ao córtex cerebral o grau das tarefas que estamos realizando, dessa forma permitindo a realização de movimentos mais complexos, protegendo as estruturas do aparelho locomotor, com exercícios em tempos de curta duração e executados em planos de movimento diferentes do habitual, isso melhora o tempo de reação do individuo, alem de elevar a autoconfiança do praticante.

Leia também:
A probabilidade de lesão é maior devido aos receptores não estarem -treinados- para responderem rapidamente a um estímulo diferente, como mudança de piso ao correr. Com o treinamento de propriocepção, diminui-se o período entre o estímulo e a resposta. Por isso da importância do treinamento de propriocepção para praticantes de corrida.

Importância das capacidades trabalhadas no treinamento funcional:

Flexibilidade - a melhora da flexibilidade tem relação com o aumento de produção de força dos músculos;

Equilíbrio - exercícios que exigem equilíbrio estimulam o sistema de controle motor e favorecem ganhos de força muscular, a melhoria dos mecanismos de propriocepção;

Força - deve ser estimulada em indivíduos destreinados, através de treinamento resistido, permitindo um aprimoramento da capacidade funcional do corpo. Velocidade, coordenação, flexibilidade e equilíbrio são a base da resistência muscular;

Resistência - importante no treino funcional, pois diminui o aparecimento da fadiga e aumenta o rendimento dos sistemas aeróbio e anaeróbio;

O treinamento funcional, além de trabalhar de forma integrada, deve ser trabalhado respeitando os princípios do treinamento, devendo ser prescrito de acordo com as necessidades individuais de cada um. Sendo ainda trabalhado de forma segura, prevenindo lesões.

O treinamento funcional atua também em desequilíbrios musculares. Pensando no fato de que todos esses fatores estejam interligados e ao fato deles contribuírem uns com os outros para um resultado mais eficaz. Uma eventual carência de mobilidade no tornozelo originará instabilidade no joelho que, conseqüentemente, será fator causador de problemas no quadril, etc.

Esses desequilíbrios estão associados a alterações de movimento articular e redução de amplitude de movimento, causado pela falta de atividade física.

Os músculos reagem de forma diferente ao estresse físico e são classificados como estabilizadores (articulação) e mobilizadores (responsáveis por movimentos articulares). Os músculos mobilizadores têm uma grande tendência a se enrijecerem ou encurtarem. Os estabilizadores têm uma tendência de enfraquecimento com a inatividade.

Exercícios de fortalecimento dos estabilizadores sem um trabalho de alongamento dos mobilizadores pode ser ineficiente. Os estabilizadores estão localizados mais profundamente no corpo e os mobilizadores são mais superficiais. Esse tipo de exercícios fornece uma base muscular forte e resistente necessária para a pratica esportiva.Os exercícios podem ser realizados com elásticos (rubber band), bola suíça (fit ball), bosu (balance trainer), balance disc e aparelhos de musculação.

Por Felipe romano
www.bresportes.com

Orientação profissional potencializa resultados da atividade física regular

http://www.muitochique.com/wp-content/uploads/2015/09/Atividades-F%C3%ADsicas-Benef%C3%ADcios-para-sa%C3%BAde-7.jpg

Para se praticar atividade física com saúde, é preciso mais do que orientação médica: é preciso um profissional de educação física consciente ao seu lado.

Para o esporte te trazer saúde, é preciso, acima de tudo, praticar atividade física respeitando os limites corpo. Além disso, usar modalidades que tragam todos os benefícios para saúde que o exercício físico é capaz de dar.

A atualização do profissional de educação física passa pela leitura de artigos. Os Cds Universitários tem uma gama de produtos, com diferentes assuntos para ajudar neste processo. Os Cds de Educação Física contém artigos e mateiral especifico para cada assunto.

Um estilo de vida ativo, com a prática regular de exercício físico permite melhorar a qualidade de vida dos indivíduos de várias formas, sendo frequentemente salientados benefícios físicos e psicológicos associados à prática de exercício físico:

  • Na manutenção ou desenvolvimento das estruturas ósseas e musculares
  • Na prevenção ou redução da tensão arterial
  • Aumento da capacidade de resposta do organismo para combater o stress
  • Alívio da tensão muscular
  • Redução da dor
  • Melhor percepção de bem-estar
  • Uma maior percepção de eficácia e controlo pessoal
  • Período de atividade que possibilita um tempo de afastamento e distração face aos problemas do cotidiano

Use e abuse do exercicio físico para melhorar a sua saúde. Procure a orientação de um profissional para potencializar isso!


Atividade física combate insônia, depressão e problemas cardíacos

 http://bs.simplusmedia.com/i/f/o/saude/conteudo/fitness/caminhada-beneficios.jpg

Além de emagrecer, o exercício físico melhora a qualidade de vida em vários aspectos: autoestima, melhora do sono e da respiração, por exemplo. A atividade física também pode ser um remédio para depressão, diabetes, colesterol alto, insônia e osteoporose.
 
Não existe uma regra de quanto tempo de atividade física é preciso fazer para haver benefícios. Isso depende muito da intensidade, frequência e duração da atividade. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o ideal é fazer cinco vezes por semana, 30 minutos de atividade leve a moderada.

A atividade física pode ajudar na depressão, porque quando fazemos exercício, o corpo libera serotonina e outros hormônios de prazer, modulando o humor.

O exercício também diminui a resistência à insulina porque os músculos passam a usar melhor a glicose do sangue, o que é bom para o diabético.

Quem tem osteoporose sente os benefícios da atividade física porque ela aumenta a deposição de cálcio nos ossos, podendo reverter a osteoporose para osteopenia.

O exercício também é uma forma de tratar as doenças do coração. Entretanto, o paciente não deve esquecer de tomar o remédio. A atividade física previne também os fatores de risco da doença cardíaca, como hipertensão, diabetes e obesidade.

Antes de iniciar a atividade física é importante fazer uma avaliação médica. Os exercícios melhoram a circulação e pressão arterial, o batimento cardíaco e a musculatura. No cardíaco, ela alivia o trabalho do coração, melhora a qualidade de vida, aumenta a capacidade de se exercitar, diminui o cansaço, melhora o sono e diminui a chance de um novo infarto.

Natação funciona para tratamento de fibromialgia, diz estudo

http://www.amaralnatacao.com.br/wp-content/uploads/natacao1.jpg

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Estado de São Paulo (UNIFESP) mostra que a natação tem resultados tão efetivos quanto a caminhada para pacientes de fibromialgia.

"A natação ainda não havia sido avaliada com o devido rigor científico e, neste ensaio clínico, apresentou resultados tão bons quanto os da caminhada, que tem benefícios comprovados. Pode ser uma opção mais interessante para uma pessoa que, além de fibromialgia, tem artrose no joelho, por exemplo", explicou o pesquisador Jamil Natour.

Portanto, a atividade física deve estar em todos os tratamentos de fibromialgia e já foi comprovado que exercícios aeróbicos de baixo impacto são os que trazem maiores benefícios. Porém, para atender cada vez mais pessoas, o grupo de pesquisadores está em busca de alternativas.

A pesquisa contou com 75 mulheres sedentárias, com fibromialgia, entre os 18 e 60 anos. Elas foram divididas aleatoriamente em dois grupos, sendo 39 submetidas a um treino de natação e 36 a um treino de caminhada, acompanhadas por 12 semanas. As atividades foram realizadas três vezes por semana, com duração de 50 minutos junto a um educador físico.

As participantes passaram por avaliações antes e após o treinamento. Os níveis de dores foram medidos através de uma régua numérica, variando de 0 a 10. Cada paciente deu uma nota para seu nível de dor, tendo caído o nível de 6,2 para 3,6 no grupo de caminhada. Já no grupo de natação, os valores foram de 6,4 para 3,1. A redução de pelo menos 2 números na escala de dor é considerada clinicamente relevante.

Sobre como escolher a melhor prática esportiva, o pesquisador acrescenta que há mais evidências dos benefícios de atividades aeróbicas, embora exercícios de força também possam apresentar bons resultados. Na opinião de Natour, devem ser evitadas modalidades que possam causar dor.

Benefícios da atividade física na Hipertensão


http://static.hmv.org.br/wp-content/uploads/2014/07/Centro-HpertensaoArterial1-700x424.jpg

A hipertensão arterial atinge mais de 30 % da população adulta, principalmente acima dos 30 anos de idade. Embora exista uma influência de fatores hereditários, dentre eles os familiares, na elevação da pressão arterial, sabem que condições de vida contribuem para esta elevação – baixa escolaridade, desemprego, baixos salários etc., assim como o estilo de vida – comer muito sal, deixar de ser "estressado", estar acima do peso, não fazer exercícios e ingerir bebida alcoólica em excesso.

Os benefícios da atividade física no controle da pressão arterial acontecem por diversos fatores diretos e indiretos da atividade física no organismo:

– Alterações cardiovasculares (Diminuição da freqüência cardíaca de repouso, debito cardíaco no repouso e resistência periférica)

– Alterações endócrinas e metabólicas (Diminuição da gordura corporal, diminuição dos níveis de insulina, diminuição na atividade do sistema nervoso simpático, aumento da sensibilidade a insulina, melhora da tolerância a glicose.)

– Composição corporal (Efeito diurético, aumento da massa muscular e aumento da força muscular.)

– Comportamento (Diminuição do stress e ansiedade)

Lembre-se, se for faz parte deste quadro de pessoas hipertensas, a prática de uma atividade física tende realmente e melhorar, porém procure profissionais com qualificação e sinta a diferença!!

Atividade Física e Envelhecimento


https://www.atividadesfisicas.com.br/wp-content/uploads/2012/11/alongamento-idosos.jpg

A relação entre atividade física e o processo de envelhecimento saudável é um tema contemporâneo que vem sendo cada vez mais discutido e analisado cientificamente devido à transformação do perfil etário da população mundial, que ocorre também aqui no Brasil. A prática de atividades físicas deve ser estimulada pelos familiares e pelos profissionais de saúde, pois são inúmeros os efeitos benéficos que trazem para os idosos


Os benefícios à saúde pela prática regular de atividades físicas são bem difundidos e documentados. Dentre os ganhos para se gozar uma vida melhor, consequente de um estilo de vida ativo, destacam-se a prevenção e controle de algumas doenças como a hipertensão, diabetes mellitus (tipo II), osteoporose e as doenças cardiovasculares, bem como diminuição na prevalência destas últimas e do risco morbimortalidade por qualquer doença.

O estilo de vida ativo pode prolongar também o tempo de vida independente e colaborar com o melhor desempenho na realização das Atividades de Vida Diária – AVDs

A prática de atividade física tem sido indicada como uma opção simples, eficaz e de baixo custo para melhora da qualidade de vida da população e redução dos gastos com saúde. Para a população idosa ocasiona melhora na capacidade física, prevenção de morbidades, promoção da saúde, obtenção de maior integração na sociedade e maior equilíbrio psicológico.