Conheça o blog Esporte com Saúde

Esporte Com Saúde
 

Para pessoas que sofrem de osteoporose e os seus sintomas, é importante estar atento a fatores que possam melhorar o seu quadro e sua qualidade de vida. Para isso, estar bem informado é fundamental.

Dentro dos blogs do Sua Saúde, há um blog que a gente fala, bastante, sobre a influência da atividade física na melhora de qualidade de vida das pessoas, não só quem tem osteoporose.

O blog Esporte com Saude traz posts que demonstram as diversas atuações da atividade física. Há, claro, vários posts para quem tem Osteoporose, basta utilizar o campo de busca com a palavra 'Osteoporose' para achar.

É a dica da semana

Três ótimos motivos para não ser sedentário


http://www.vilamulher.com.br/imagens/default/2011/05/20/de-sedentario-a-atleta-em-cinco-passos-68-254.jpg

A prática regular de atividades físicas traz diversos benefícios à saúde. Além dos resultados estéticos, movimentar o corpo faz bem para o coração e para a mente, uma vez que ajuda no controle da ansiedade e do estresse. O que pode surpreender é que o exercício físico também serve como aliado para prevenir e retardar o avanço de doenças degenerativas. Muitas vezes, são patologias hereditárias e ainda sem cura, caracterizadas pela lesão gradual de células do organismo e cuja evolução traz limitações físicas e mentais, como o Alzheimer e a doença de Parkinson.

Sabe-se que o exercício aeróbico favorece a conexão entre os neurônios, aumentando a capacidade de aprendizagem e adaptação. O mesmo ocorre quando o cérebro é estimulado com exercícios mentais, como jogos de estratégias e aprendizado de idiomas.

Então, vamos a três ótimos motivos para não ser sedentário

-Ao atrasar o avanço das doenças degenerativas, os exercícios permitem que o paciente preserve por mais tempo a memória e a noção de tempo e espaço. O sono mais equilibrado, consequência do exercício físico, também favorece as capacidades cognitivas.

-A prática de atividades físicas tem um lado preventivo, pois possibilita a formação de novas conexões no cérebro. Isso é muito importante diante de doenças como Alzheimer, cuja principal característica é a perda progressiva de conexões neurais.

-Trabalhar o corpo favorece a produção de hormônios que dão sensação de bem-estar, como a endorfina. Por isso, quem faz exercícios regularmente fica mais alegre e estável, menos sujeito a ansiedade e depressão.

Grávidas que fazem exercício reduzem riscos de Diabetes


shutterstock_94591234

Se a prática do exercício começar logo nos primeiros tempos da gestação, os ricos de ficar diabética caem mais de 30% em comparação com as grávidas que não se exercitam, conta o The Guardian.

Gema Sanabria-Martinez, do hospital espanhol Virgen de la Luz, conduziu o estudo que analisou 13 anteriores estudos que envolveram 2.897 mulheres e investigaram a relação entre a prática de exercício físico e os riscos de sofrer de Diabetes gestacional.

Uma das principais conclusões é que as grávidas ativas além de ficarem menos propensas de sofrer Diabete, não ganhavam tanto peso durante a gestação como aquelas que se mantinham sedentárias. Além disso, as mulheres que fizeram exercício durante a gravidez deram à luz bebés mais saudáveis, conta o The Guardian.

A equipa liderada por Virgen de la Luz indica que "os resultados mostram que o exercício físico durante a gravidez reduz o risco de Diabetes gestacional e também reduz o ganho de peso".

Treinos aeróbicos, de força, resistência, flexibilidade e alongamento são os mais aconselhados.

A importância do esporte coletivo à saúde de crianças e adultos

 Divulgação/LNB

A gente já está cansado de saber que a atividade física faz bem aà saúde das pessoas. Mas e os esportes? Quando as crianças começam a praticar esportes, seja por conta própria, seja com a supervisão de um profissional, elas aprendem e desenvolvem habilidades importantes para seu desenvolvimento.

O grau de aprendizado das habilidades depende do grau de maturidade das crianças e de suas experiências, da qualidade do ensino que recebem, assim como do grau de dificuldade em realizar as tarefas.

Quando as crianças aprendem algo novo, elas podem desenvolver habilidades cognitivas, respeitar o corpo, aumentar a autoestima, trabalhar o equilíbrio emocional (força de vontade, autocontrole, autoconfiança), reconhecer o outro e saber compartilhar, trabalhar em grupo, desenvolver autonomia e estimular a criatividade.

Já os adultos podem aprender a trabalhar em equipe ainda que não tenham adquirido estas habilidades na infância. Dentre as aptidões que podem desenvolver, há a mudança positiva na autopercepção e no bem-estar; a melhoria na autoconfiança, a mudança positiva no humor; o alívio da tensão e de sentimentos como a depressão e a ansiedade; a influência na amenização da tensão pré-menstrual; o aumento da sensação de bem-estar mental, maior apreciação da prática de exercícios e de contatos sociais; e o desenvolvimento de estratégias positivas para enfrentar situações de estresse no dia a dia. 

A promoção da saúde é considerada um incentivo às relações sociais, tais como coleguismo, amizade e paixões, seja no ambiente doméstico, seja no contexto profissional.

Apesar de todos os benefícios propiciados pela prática de exercícios e de esportes, poucos estudos incluem na amostra indivíduos ex-atletas para verificar se a interrupção ou afastamento do esporte podem promover manutenção ou alteração dos níveis de ansiedade, resiliência e qualidade de vida.

Estudos mostram que atletas têm maiores níveis de qualidade de vida que indivíduos não-atletas, tanto em aspectos de saúde mental quanto em aspectos físicos e sociais. Esses achados indicam que o passado atlético pode contribuir para a melhora da qualidade de vida, já que também está associado à melhora de aspectos físicos e mentais.

Com ajuda do Hospital São Luiz

Exercício físico orientado ajuda na luta contra o câncer

​​​​​​http://www.nucleodamama.com.br/noticias/estudo-vincula-atividade-fisica-a-menor-risco-de/estudo-vincula-atividade-fisica-a-menor-risco-de.jpg

O exercício físico orientado é um grande aliado para pacientes com câncer. Evidências cada vez mais abundantes mostram o benefício da prática regular e orientada do exercício físico nessa população, seja no âmbito da prevenção ou da terapêutica.

Quanto à prevenção, as evidências são significativas, sobretudo no que diz respeito à redução do risco de câncer de mama e de cólon. Há evidências consideráveis também para o câncer de próstata e alguma evidência para o câncer de pulmão, endométrio, estômago, fígado e rim.

Quanto aos efeitos terapêuticos, os benefícios estendem-se a todos os grupos. Além dos benefícios gerais associados à prática regular de atividade física, relativos à capacidade cardiopulmonar e metabólica, ao condicionamento musculoesquelético, à saúde mental, à imunidade e ao sono, há benefícios específicos em pacientes oncológicos:

  • Melhora a fadiga oncológica.
  • Melhora a qualidade de vida.
  • Auxilia o controle de peso que influencia a disponibilidade hormonal e a carcinogênese.
  • Contrapõe o efeito da depleção hormonal sobre o sistema musculoesquelético.
  • Reduz a recorrência e mortalidade em alguns cânceres.

Há também pesquisas envolvendo pacientes com câncer de mama, próstata, cólon, bexiga, útero e melanoma, que demonstram que a prática regular de atividade física contribuiu de forma significativa para a melhora da qualidade de vida. Recomenda-se ao menos 150 minutos de atividade física moderada por semana.

Para a realização segura do exercício, além da estratificação de risco cardiovascular usual para a prescrição do exercício, é necessária a avaliação e adequação diante das prevalentes alterações neuromusculares, hematológicas e linfáticas, ao uso de quimioterápicos cardiotóxicos, a quadros álgicos, aos cuidados relativos à presença de doença óssea metastática e à doença de base.​

Sedentarismo é o principal causador do cansaço excessivo



O sedentarismo atinge cada vez mais os brasileiros tornando qualquer tarefa simples em uma guerra contra o cansaço. Com os dias cada vez mais corridos, tempo para exercícios físicos tornou-se raríssimo.

Uma pesquisa realizada pelo Ibope mostra que quase 100% dos brasileiros se sentem cansados, e 61% muito cansados. O sedentarismo é o principal causador deste cansaço excessivo. Geralmente coloca-se a culpa na correria do dia a dia, mas, o verdadeiro causador dessa situação é o sedentarismo.

Pode não parecer, mas quanto menos atividade física se pratica, mais cansado o corpo permanece. É como um circulo vicioso. Quando pratica-se atividades físicas, o corpo libera o ácido láctico, substância que dá a sensação de dor. O corpo interpreta essa dor como uma agressão e reage com a tal falta de ânimo.

Se não houver persistência no momento de praticar exercícios – e de aguentar as dores iniciais – a tendência é de que o corpo “reclame” depois de qualquer mínimo esforço. A sensação de cansaço é cada vez maior e não é recuperada com o descanso.

A solução para esse problema é praticar exercícios físicos regularmente, mas sem exageros. De acordo com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), seria necessário queimar cerca de 2200 calorias semanalmente. Esse número não precisa ser atingido somente praticando exercícios físicos, mas sim em atividades do dia a dia, como subir escadas e varrer a casa.

Estudo: "Quarentões" ativos têm risco de câncer reduzido até pela metade


Homens "quarentões" em boa forma física têm menos chances de desenvolver cânceres de pulmão e colorretal. É o que sugere um estudo publicado pela revista médica especializada JAMA Oncology.

O estudo determinou que correr ou andar 1,6km em menos de 12 minutos é um parâmetro para boa forma 

Os pesquisadores da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, também sugerem que a combinação de boa alimentação e bom nível de atividade física aumenta as chances de sobrevivência para homens em boa forma no caso de eles diagnosticados com a doença.

E alertam ainda que mesmo pequenas melhorias na rotina de exercícios já podem diminuir os riscos de câncer.

Ainda que exercício e alimentação balanceada sejam medidas já conhecidas para reduzir as possibilidades de se ficar doente, a autora do estudo da Universidade de Vermont, Susan Lakoski, acredita ser benéfico dizer as pessoas o quanto elas precisam melhorar sua forma física para reduzir o risco de câncer a níveis aceitáveis.

Isso viria sob a forma de planos personalizados de exercícios, que mediriam, por exemplo, sua capacidade cardiorrespiratória.

Teste da esteira

O estudo analisou 14 mil homens no Estado americano do Texas, com idades variando entre 46 e 50 anos. Os pesquisadores testaram o condicionamento físico dos voluntários fazendo-os correr numa esteira até a exaustão.

Os voluntários, então, tiveram sua forma física testada a cada seis anos e meio entre 1971 e 2009.

Entre 1999 e 2009, 1.310 homens tiveram câncer de próstata, 200 de pulmão e 181 desenvolveram o colorretal.

Segundo os pesquisadores, homens com alto nível de atividade física na meia-idade reduziram seu risco de câncer de pulmão em 55% e o de colorretal em 44%, em comparação com homens mais sedentários - mais especificamente os que demoraram mais de 12 minutos para correr ou andar uma milha (1,6 km).

Porém, o estudo descobriu que homens com boa condição física não mostraram redução de risco de desenvolvimento de câncer de próstata.

Os autores do estudo acreditam que isso se deve em parte ao fato de homens de bom desempenho cardiorrespiratório em geral serem mais conscientes em relação a sua saúde e mais dispostos a se submeter a exames de câncer de próstata - o que aumenta as chances de diagnóstico.

Seja como for, segundo Lakoski, "a mensagem é que a prevenção começa antes do que se imagina".

"Seus hábitos e sua forma física têm impacto no que vai acontecer 20 ou 30 anos mais tarde. E muita gente não pensa nisso".

A pesquisadora afirma no estudo que apenas estar em forma física acima da média já traz vantagens para a saúde.

Um porta-voz da ONG britânica Cancer Research, Tom Stansfeld, diz que a pesquisa mostra uma nova via de estudo das relações entre forma física e o risco de câncer.

"Praticar atividades físicas regularmente é ótimo para a saúde e o estudo mostra que os benefícios são muito maiores do que somente para a saúde cardíaca", afirma Stansfeld

7 Grandes benefícios de uma pequena caminhada

http://semkilos.com/wp-content/uploads/2015/02/caminhada-02.jpg

E se houvesse algo que você pudesse fazer todos os dias que queimasse calorias, fosse bom para o seu coração e ajudasse a mantê-lo jovem. Você faria, certo?

Essa é a causa pela qual os médicos são tão loucos por caminhadas, especialmente frente a uma nova pesquisa que diz que andar faz bem para tudo desde cortar os riscos de câncer de mama até ajudá-lo a dormir.

1. É excelente para o coração

Um estudo recente descobriu que andar rapidamente por 30 minutos todos os dias reduz suas chances de desenvolver a síndrome metabólica, que gera uma série de fatores de risco ligados a doenças cardíacas, diabetes e derrame. Estima-se que centenas de milhões de mulheres pelo mundo sofram de síndrome metabólica. Não tem tempo para uma caminhada diária de meia hora? 

2. Reduz os riscos de câncer de mama

Andar, mesmo por poucas horas na semana reduz significativamente o risco de câncer de mama, de acordo com um estudo. A idéia é que andar ajuda a reduzir os níveis de gordura corporal, uma fonte de estrogênio. Foram pesquisadas 74 mil mulheres na pós-menopausa com idades entre 50 e 79 anos. Aquelas que tinham um peso normal tiveram risco 30% menor de contrair a doença. As que estavam acima do peso reduziram entre 10 e 20% as chances. Mulheres mais jovens podem conseguir benefícios similares.

3. Ajuda o sono

Uma caminhada rápida pela tarde irá colaborar para uma melhor noite de sono. Andar pode aumentar os níveis de serotonina, o hormônio da felicidade, que relaxa seu corpo. O aumento na temperatura corporal que a caminhada gera pode sinalizar o seu cérebro para baixar a temperatura em seguida, o que promove o sono. Evite andar duas horas antes de ir para a cama. É muito tarde para resfriar o corpo.  

4. Faz você feliz

Andar pode aliviar a depressão, ansiedade e estresse. Apenas uma caminhada de 30 minutos pode fazer você sentir-se melhor quando está triste, descobriu um estudo. Amplie este tempo para 90 minutos, cinco dias da semana, e você sentirá uma grande melhora, de acordo com um novo estudo. A explicação possível: Andar ajuda o corpo a produzir endorfinas, elementos químicos que melhoram o humor. 

5. Mantém a magreza

Andar por 30 minutos por dia pode prevenir ganho de peso em pessoas fisicamente inativas, segundo outro estudo. Pesquisadores também descobriram que mulheres que andem por uma hora, cinco dias por semana e consumiam 1.500 calorias por dia perderam 11quilos e mantiveram este peso longe ao longo de um ano. A razão pela qual caminhar ajuda a controlar o peso? Fácil! "Quanto mais difícil o exercício, menos pessoas o farão", disse o médico ortopedista Johnny Benjamin. 

6. Protela a velhice

Diversos estudos em pessoas mais velhas sugerem que andar, mesmo por apenas 45 minutos por semana, ajuda a evitar doença de Alzheimer. Passeios regulares também estão ligados a boa lucidez em idosos. Mas não importa a sua idade, andar tem boas chances de ajudar a manter a sua mente ativa, especialmente se você anda com seus amigos; falar enquanto caminha é um excelente estimulante cerebral, segundo Benjamin. »

7. Protege seus ossos

Apenas 30 minutos de caminhada, três vezes por semana, faz maravilhas para prevenir e tratar o afinamento dos ossos. Este tipo de exercício, que usa 95% dos seus músculos, faz com que seus ossos fiquem mais fortes para que possam agüentar a carga.

[Fonte]